Notícias  » Chuteira 5

DUELO # 23 – Afinal, o que querem Ventiladores e Aposentados?

           

Times se enfrentam pelo Grupo A do Chuteira 5 querendo mostrar seus valores
 
A saga de cada equipe que adentra a Liga Chuteira de Ouro F7 é contada por ela própria. Os objetivos são distintos mediante seus plantéis e os planejamentos antes, durante e depois de cada disputa de divisão. Ventiladores e Aposentados chegaram ao universo Chuteira tímidos e ainda sem mostrar suas identidades. Por um lado, pode trazer surpresa ao(s) adversário(s), já que (ainda) são pouco conhecidos. Por outro, querem sair dessa sombra para os holofotes. Amanhã, enfrentam-se pelo Grupo A do XIII Chuteira 5 na ansiedade de, em caso de vitória para um deles, surgir para os olhos das equipes mais longevas.
 
Ambos começaram suas trajetórias na edição 2021 da Copa Apertura, ano passado, sem nenhuma badalação. Foram os últimos colocados em seus respectivos Grupos (Ventiladores no C e Aposentados, no F) e, claro, não despertaram curiosidade nos outros times. O Ventiladores jogou, em seguida, a 10ª US Cup para também terminar na posição mais indesejada do Grupo C. Com campanhas tão parecidas, e aquém das (mesmo poucas) expectativas, foram para a disputa da VIII Copa Estrelato sob desconfiança, que terminou assim que a bola rolou e as rodadas se passaram. Caíram no mesmo Grupo A e, dessa vez, conquistaram boas posições: o Ventiladores ficou com a vice-liderança e só foi eliminado nas quartas de final, quando acabou goleado pelo Gala (leia aqui). O Aposentados terminou na 6ª posição e, com os 7 pontos somados, foi a 16ª melhor equipe na classificação geral, avançando ao mata-mata. Acabou eliminado pelo Zona Nossa, então melhor campanha, num jogo em que a equipe que conta com Gustavo Calachi e Joaks quase surpreendeu (leia aqui).
 
Amanhã, Ventiladores e Aposentados voltam a se enfrentar, e de novo por um Grupo A. No primeiro, e até então único encontro, prevaleceu o empate em 4 x 4 em uma partida de superação de Alessio e cia., e de Deliba, autor de 3 tentos (leia aqui). Deliba, assim como Jiraya, não fazem mais parte do elenco ventilador (o primeiro é Leleks, o segundo, Magnatas, ambos na Série Ouro). A realidade do time, e dos aposentados, é começar a caminhar com as próprias pernas suas trajetórias no Chuteira. Neste Duelo # 23, três perguntas para Lucas Mazzacorati Pela, o popular Pela, um dos fundadores do Ventiladores, e Leonardo Kalaf Vieira da Cruz, ou Léo Cruz, líder aposentado. Eles aceitaram o desafio da reportagem chuteirense para promoverem uma partida que poderá ser divisora de águas para o vencedor.
 
O que realmente quer, tanto Ventiladores quanto Aposentados, na Liga Chuteira de Ouro F7? Muitas equipes têm objetivos distintos, então, qual é a de vocês? Querem surpreender alguma outra equipe rival? Surpreender a si próprios? Chegar até a Série Ouro?
 
Léo Cruz (Aposentados) – Temos plena noção do nosso time e de onde podemos chegar. Acredito que nosso principal objetivo seja classificar para os playoffs e ir o mais longe possível. Quem sabe uma final? Não temos nenhum adversário para surpreender, apenas nós mesmos, chegarmos mais maduros e confiantes no nosso futebol para subir de divisão e ir crescendo como time.
 
Pela (Ventiladores) – O Ventiladores Futebol e Samba sempre vai entrar nas partidas e competições com a mentalidade de vencer. Penso que já cumprimos um dos objetivos iniciais do time, de reunir velhos amigos, jogar bola e se divertir, mas não podemos deixar de ser competitivos para que a diversão não vire briga interna (risos). Nosso pensamento é dar o melhor jogo a jogo e, assim, um dia conseguirmos chegar à Série Ouro, por que não, né?
 
Ambos surgiram na Copa Apertura e depois caíram na mesma chave na Copa Estrelato, que tem um nível bom, mas pouco conhecido por conta de novos times. Sentiram quais diferenças ao ingressar no Chuteira 5, já que têm equipes mais cascudas de divisão? Quais pontos a favor e os contrários a enfrentar times já conhecidos e, alguns, com elencos de jogadores mais velhos?
 
Léo Cruz (Aposentados) – Até então não sentimos muita diferença da Copa Estrelato em relação ao Chuteira 5, até porque a maioria dos times veio da Copa Estrelato [dos 16 times, três deles jogavam o Chuteira de Ouro pré-pandemia: Tirinhas, Bicho Solto e Saidera (estes no Grupo B)]. Agora somos uma equipe mais madura e um pouco mais entrosada. Mudamos várias peças do ano passado pra cá, e isso aconteceu com vários times que passaram pelo mesmo processo. Então, creio que não existem vantagens ou desvantagens, estão sendo confrontos completamente diferentes do ano passado.
 
Pela (Ventiladores) – Apesar de termos jogado apenas 3 jogos este ano, já foi possível sentir uma diferença na intensidade das partidas. Tanto as equipes que já estavam no Chuteira 5 como as que, como nós, vieram da Estrelato, são mais experientes e têm mais a “malandragem” de jogo que o Chuteira exige. Grande parte dos jogos do Chuteira é decidida em pequenos detalhes, detalhes esses que temos que saber explorar ao jogar contra times já conhecidos ou com elencos mais velhos.
 
Como preveem o confronto deste sábado, o segundo de Ventiladores e Aposentados na história do Chuteira?
 
Léo Cruz (Aposentados) – Não tenho como prever o confronto de sábado. Jogamos contra eles ano passado num jogo muito atípico. Nosso jogador saiu machucado de maca e tive que levá-lo ao hospital. Depois disso, o jogo seguiu e buscamos o empate. É um time bom, que já joga junto há mais tempo que nós, já estão mais entrosados e tem melhor noção tática e individual no campo. Ainda somos um time em construção, buscando melhorar a cada rodada. Não tenho como afirmar as peças para vencer o adversário, depende muito do dia e das peças que estarão disponíveis. Acredito que temos grandes chances de classificar pro mata-mata, temos uma vitória já e podemos vencer mais vezes nessa fase de grupos. Inclusive, agora contra o Ventiladores, é uma excelente oportunidade para vencermos e darmos um salto na tabela.
 
Pela (Ventiladores) – Com certeza será uma partida muito difícil. Enfrentamo-los na fase de grupos da Estrelato do semestre passado e sabemos do potencial deles. Foi um jogo meio atípico, em que abrimos 4 x 1 e deixamos empatar no final, mas que serviu de lição para o resto da competição. A vitória neste sábado, para nós, é essencial. Vamos continuar apostando no nosso toque de bola e forte marcação para sairmos vitoriosos. Sabemos que quem ganhar esse jogo, terá vida muito mais “tranquila” nesse grupo tão embolado e parelho.

Comentários

Total (0)