Notícias  » Geral

O Gigantes acordou

           

Com segundo tempo avassalador, Gigantes faz jus à pecha de demolidor de favoritos e encerra série invicta do Zero 13 com o caneco da Copa Apertura
Quem olha a campanha das equipes, certamente faria a sua “fezinha” no Zero 13. Fácil, fácil! No entanto, o mundo não dá voltas, mas sim capota bastante. Na finalíssima da Copa Apertura, a agremiação santista teve pela frente o Gigantes, que poderia ser o “patinho feio” da parada, mas, quando se trata de um duelo fazendo jus ao nome do time, o crescimento é enorme e inevitável. Consistente e à vontade durante os 50 minutos, a equipe branca chegou até sofrer o empate, mas soube resolver a peleja na hora certa e levantou o caneco ao vencer por 5 x 3.
 
Se na decisão prateada faltou emoção, nesta sobrou por demais. O Zero 13 logo apresentou o seu cartão de visitas: Ferro iniciou a trama deixando a redonda nos pés de CEF no lado esquerdo, que serviu Haroldo. Keiji fez o pivô, devolveu ao camisa 5 em velocidade que disparou o míssil à esquerda. A resposta do Gigantes veio na cobrança de escanteio na esquerda com Samuca. Renan Zanelli deu o primeiro desvio de cuca e Guinight completou por cima da meta de Cacá.
 
Com 4 minutos jogados, momentos de tensão com Keiji dando um “chega pra lá” em Raphinha. Reclamação, aglomeração e Bruninho chegou para pedir telefone ao ´Balãotelli do Oriente´. No final das contas: cartão amarelo para ambos.
 
Com o passar do tempo, o lado gigante estava à vontade e Raphinha acionou Samuca na direita. O tiro do camisa 8 contou com leve desvio de CEF e Zanelli pegou a sobra para mandar à esquerda. Na sequência, pressão branca na saída de bola adversária, Ferro entregou o ouro nos pés de Raphinha, assistência para o 10 gigante e finalização por cima. Bom momento do Gigantes no match!
 
A pressão fez com que o Zero 13 parasse o jogo. Após o break, Kauê acelerou pela esquerda, costurou a marcação e rolou para Haroldo. O 5 do litoral cortou para o meio, preparou a canhota e mandou um petardo para boa intervenção de Rodolfo Spedo no canto direito. O Gigantes respondeu no corner de Samuca, o balão subiu e desceu dentro da área, Bruninho chutou prensado e Guinight literalmente recuou para Cacá segurar sem dificuldade.
 
O lance acendeu o lado branco e o gol amadurecia a cada trama. Na base da bola parada, Guinight esquentou a luva de Cacá ao cobrar falta com veneno do meio da avenida. Aos 16 minutos, Raphinha puxou a ofensiva gigante e o tiro esbarrou em Mathaus. Escanteio na ponta direita e o camisa 5 levantou no segundo pau para Guinight subir no primeiro andar, canto direito e sem chance para o guarda-metas santista. 1 x 0!
 
O Z13 não ficou gongado com o tento sofrido e faltou pouco para sair o gol de empate. Pelo lado esquerdo, Kauê cobrou corner, Claudinho foi até o Terraço Itália para cabecear e outra vez Spedo estava no lugar certo para operar um milagre no canto esquerdo. Que defesa! Defesa que poderia valer um gol, não é verdade? Em seguida, outra ação caiçara com Interior surgindo pela meiuca, rota para o lado esquerdo, tabela com Kauê e chute cruzado, mas no meio do caminho tinha o pé de Maestre, que deu um leve desvio e desperdiçou a chance da igualdade.
 
A partida seguia com a sua maravilhosa trocação e Renan Z. quase aumentou o score após contra-ataque puxado por Thiago, Raphinha e o tiro em diagonal para fora. Na sequência, o camisa 10 gigante estava a fim de deixar a sua marca, e após Keiji ser desarmado por Guinight na quadra ofensiva, a redonda parou em seus pés, corte para o lado direito, bomba venenosa de canhota e Cacá bateu roupa até Ferro despachar para fora.
 
Antes do intervalo, Spedo voltaria a aparecer e atormentar o ataque caiçara. Maestre iniciou a ofensiva alvinegra e tocou para Keiji dominar, ajeitar e acionar Kauê na ponta canhota. O camisa 13 preparou o míssil no pé direito e a paulada obrigou o arqueiro gigante a fazer um DEFESÃO! Na sequência, o próprio Kauê chamou Raphinha para dançar, encontrou espaço, enfileirou a defesa branca e buscou o tiro em diagonal, mas Spedo interceptou com os pés. Fim da primeira etapa!
 
Depois do ‘Show do Intervalo’ e o trilar do apito para os 25 minutos finais, o Gigantes seguia assustando a turma santista e Cacá teve que trabalhar na cobrança de falta de Guinight na ponta esquerda, e no tiro de Renan Zanelli após pegar o rebote e tabelar com o 27 gigante. Será que o segundo tento branco estava amadurecendo?
 
Ah, o futebol... Quando eram jogados 5 minutos da etapa complementar, um lance de pura felicidade fez com que o parquinho pegasse fogo. “Sumido” em boa parte da peleja, Keiji recebeu a pelota na quadra ofensiva, girou e preparou a bomba para outra grande defesa de Spedo. Não parou por aí! Quando todos pensavam que a redonda sairia, teríamos outro escanteio e preparados para soltar outro elogio ao arqueiro do Gigantes, eis que surge Mathaus (este tem nome de craque da seleção alemã de futebol), que, sem ângulo, emendou um belíssimo chute, encobrindo o arqueiro branco! Afinal de contas: chutou ou quis cruzar? Não importa, o GOLAÇO estava feito e o duelo empatado! 1 x 1!
 
No entanto, o Z13 não soube segurar a igualdade, já que no minuto seguinte sofreu aquele golpe que deixaria gongado até o final. Guardem bem estes nomes: Renan Z. e Samuca! Pois bem, a dupla foi fundamental no segundo tento branco. Tabelinha de ambos na quadra ofensiva, que terminaria na finalização do camisa 10 em cima de Cacá. A redonda parou na linha lateral, posse gigante na ponta direita, Kauê afastou errado e o melão chegou limpo nos pés de Zanelli, que preparou a bomba de pé direito, desviado na defesa santista, e a sobra ficou para Samuca acertar uma cacetada, a ponto de acordar a coruja, que dormia no ninho direito. GOLAÇO! Gigantes novamente na frente! 2 x 1!
 
O lado santista tonteou, ficou zonzo e a porteira abriu quatro minutos depois com o terceiro gol. Kauê bobeou e teve a carteira batida por Raphinha na quadra ofensiva, Samuca pediu jogo na ala esquerda, velocidade máxima, 5ª, 6ª, 7ª marcha na marginal e tiro cruzado sem dar chandes para Cacá. O Gigantes estava perto de levantar a taça, galera! Prenúncio de que a mimosa deitou! 3 x 1!
 
Com o relógio correndo a seu favor, a agremiação branca continuava incomodando o setor defensivo santista e os tiros de Guinight e Renan Z. pararam nas mãos de Cacá. O Z13 tentava voltar para o duelo, mas Kauê não estava em uma jornada inspirada ao errar o alvo após passe de Filé.
 
Chegando ao minuto 21, Thiago arrancou pelo corredor direito e sofreu falta de CEF, que levou cartão amarelo. Biombo montado, “escanteio de mangas curtas” e o camisa 4 rolou para o meio, onde Guinight apareceu sem marcação para fuzilar no canto esquerdo. É, galera, o Gigantes está com uma mão e quatro dedos na taça! 4 x 1!
 
Na reta final, saíram outros três tentos. Aos 24, Samuca puxou o contra-ataque, Raphinha recebeu na direita, serviu Bruninho livremente na banheira para empurrar e sair comemorando com a galera. 5 x 1! Enquanto o pessoal do banco iniciava os festejos, Interior rabiscou para cima de Raphinha na ponta esquerda e deixou Filé na cara do gol para mandar uma ‘bicuda’, alta, na forquilha esquerda, descontando para o Z13. 5 x 2!
 
Ainda deu tempo para Mathaus anotar o seu segundo tento ao receber o passe de Kauê após cobrança de falta. Tiro colocado no canto direito, porém, sem tempo para uma milagrosa reação. Fim de papo! 5 x 3!
 
Depois de um começo totalmente irregular, e se classificando apenas em 3º lugar do seu grupo, o Gigantes soube muito bem administrar as adversidades e virou um “demolidor de favoritos” no mata-mata, quando deixou para trás equipes como Mercenários, Parceradas, Hooligans e o próprio Zero 13, que, além de bem posicionados, eram muito candidatos ao título. A equipe cresceu na hora certa, engatou uma bela sequência e será que teremos essa superação no Chuteira 5? Veremos!
 
Já o Zero 13, que vinha de cinco vitórias seguidas no campeonato, chega ao terceiro vice-campeonato no universo Chuteira de Ouro depois de cair para o Catimba (Série Aço), Futsamba (Copa dos Campeões) e agora o Gigantes. Manter o elenco e buscar algumas peças dará à turma litorânea chance de brigar pelo acesso no Chuteira 100 da Bronze.
 

Ficha técnica
 
Gigantes 5 x 3 Zero 13 – Final da Divisão Ouro da VIII Copa Apertura
 
Gols: Mathaus (2) e Filé (Z13); Guinight (2), Samuca (2) e Bruninho (G)
 
Cartões amarelos: Keiji e CEF (Z13); Bruninho e Diogueba (G)


PREMIAÇÃO INDIVIDUAL

Artilheiro: Erick (Paraguay)

MVP: Renan Zanelli (Gigantes)

MVG: Rodolfo (Gigantes)

OBS: O jogo na íntegra pode ser assistido clicando aqui.

Comentários

Total (0)