Notícias  » Geral

Quatro jogos, três atropelos e a água santa

           

Campeões de seus grupos, Camelo, IMZT, Pervas e Meganejo sobraram em quadra nas quartas de final
Não teve pra ninguém. O quarteto acima citado segue invicto na competição, com três deles ainda 100% (Pervas foi o único que teve um empate na fase de grupos). Enquanto Camelo, IMZT e Pervas passaram o carro sobre Basicus, Absolutos e Madureira, o Meganejo deixou o Interativo sonhar, mas, tal qual Popeye e seu espinafre, tinha a disposição sua água santa para dar tilt no rival quando bem quisesse.
 
Neste sábado, antes da pausa do feriadão, teremos as semifinais, quando Camelo e IMZT definem quem vai pra final com Pervas ou Meganejo. Dois grandes jogos, mas antes vamos ver abaixo como foram as quatro partidas das quartas...
 

CAMPO ALUGADO
 
O Camelo sobrou diante do Basicus para chegar à semifinal. O time de Renatinho confirma a pecha de favorito, marca mais 5 gols (melhor ataque da competição) e tem um páreo duro pela frente, o reforçado e embalado IMZT!
 
Sobre o jogo, o Camelo alugou os dois lados da quadra e não tomou conhecimento dos rosados, empolgados a mil após a vitória ante o Joga Fácil nas oitavas. Só que a casa começou a ruir já aos 7 minutos, quando Juninho tabelou com Donato pela esquerda antes de bater forte no canto baixo. Kozakevic não teve chance. 1 x 0!
 
O Camelo recuou e o Basicus equilibrou as ações. O escrete comandado por Barnabé, na verdade, se ajeitou para o contra-ataque. Quase deu certo quando Luisinho pressionou e fez o abafa na espirrada de Murilo. A bola sobrou pra Donato errar o alvo. Na próxima chance do camisa 20, em outro contra golpe, claro, Kozakevic foi no canto baixo e mandou a escanteio. O Basicus teve boa chance em falta da linha do shoot out que Bolas bateu com veneno. A bola pingou na área e saiu rente a trave!
 
Já no fim da etapa, o Camelo ampliou a vantagem com um golaço. Na verdade, seria golaço se Piska não roubasse o gol de seu compatriota Luisinho. Este fez tudo sozinho – partiu em velocidade no contra-ataque, passou por meio time do Basicus e tocou na saída do goleiro. A bola foi lentamente pro gol, mas Piska veio e completou em cima da linha! Ladrão! Ladrãozinho! Devolve o GOLAÇO pro menino, safado! 2 x 0 que só não virou três porque algum homem de rosa salvou em cima da linha cabeçada de Luisinho após Kozakevic socar pra cima bola de falta batida por Juninho.
 
O segundo tempo começou com falta de Luisinho – ele sofreu, ele bateu – por cima da barreira com a bola caprichosamente indo no travessão! Só que, logo após o escanteio rosa chegar ao pé de Murilo num belo arremate de peito de pé – quase um voleio – de fora da área (bola fora), o contra-ataque camelídeo foi mais uma vez LETAL. Sempre ele, Luisinho, avançando pela esquerda e cruzando para Dedeko deixar o seu! 3 x 0!
 
O Basicus tentava. Novo escanteio, bola afastada e, a dois passos da área, Faustinho pegou um sem-pulo de direita que merecia acabar em gol, mas nada feito! Coube ao pequeno Penninha o gol de honra rosado. Já aos 16 minutos, ele recebeu de frente pra área, ciscou, puxou pra direita e bateu no canto do goleiro Digão, que entrara no lugar de Rejão na etapa final. 3 x 1! Ainda dá!
Não dava. O Camelo matou o jogo nos acréscimos, após segurar o placar por mais 10 minutos. Dois gols de Piska, 5 x 1 na conta e semifinal em vista!
 
CADÊ O MADUREIRA?

O Pervas foi soberano do início ao fim e mostrou que o título pode ficar com o clã Salgado! Diante do Madureira, o time não parou um minuto sequer, criou mil e uma chances, viu o adversário mais perdido que cego em tiroteio, pra abusar da expressão consagrada. O placar de 4 x 1 foi pouco diante de tanta superioridade.
 
Bola rolando e Pervas no ataque, sem esforço. O gol podia ter saído nos primeiros minutos, mas Alba salvou em cima da linha toque de Fernandinho após jogada pela esquerda de escanteio. O Madureira visitou o ataque com Mogi escapando pela esquerda e dando tapa enjoado por cima do goleiro Dú. Só que a bola foi cortada de cabeça por Thi antes de chegar ao destino desejado.
 
Só dava Pervas. Em contra-ataque, Salgado ajeitou com carinho para Gabi pegar na frente da marca do pênalti e... furar! Oooooooooooopa! Assim não, meu outrora MVP! O espaço dado pelo Madú era tanto que Caue ligou a máquina, ninguém marcou a corrida e só parou diante de Lattes, que salvou no tapa rasteiro!
 
Para o jogo, Lobo! O capitão ouviu a voz da razão e foi conversar com a rapaziada. Adiantou pouco ou nada, já que o Pervas ia colecionando escanteios. Certamente bateu o recorde de tiros de canto numa etapa – foram mais de 10. Salgado era o alvo da maioria das alçadas na área. Numa delas, ele tocou no chão e Lattes salvou mais uma vez. Aos 21, não teve mais jeito de evitar a catrástrofe. Foi um lançamento do goleiro Dú pra Fernandinho na direita. Ele tentou duas vezes antes de descolar cruzamento para Romarinho cumprimentar na trave oposta. Sim, 1 x 0 e era pouco!!!
 
O segundo tempo foi de Pervas iniciando outra coleção – desta vez a de gols perdidos. Salgado ficou livre diante de Gabia, que entrara no lugar de Lattes, e tentou o drible, mas viu foi mesmo o goleirão pegar no chão! Outra bola direta de Dú, ninguém do Madureira guardou posição na defesa e Salgado tinha Deco livre na direita pra empurrar pro gol, mas ele queria o dele e resolveu chutar na saída do goleiro. Pegou! Perdeu! Gabia 2 x 0 Salgado!
 
Porém, o 2 x 0 estava selado ante a apatia do adversário. Parecia que o Pervas tinha 14 jogadores em quadra enquanto o Madú jogava com dois a menos. Lateral do meio, Caue mandou a paulada rasteira de fora da área e... tá lá! O Madureira desmontou, tanto que uma saída errada de bola foi cortada por Caue. Sem egoísmo, ele deu pro Deco na direita marcar seu sétimo gol e empatar com outros três atletas na artilharia! 3 x 0 e Pervas classificado!
 
O tempo pedido pelo Madureira foi mera formalidade. Já não havia muito o que fazer. Não com essa atitude em quadra. Gabi voltou ao jogo disposto a bater Salgado no quesito gols perdidos. Foram três chances ante Gabia, e nas três o goleiro levou a melhor! Como usa bem os pés pra defender esse goleiro! Gabia 3 x 0 Gabi! Entretanto, Salgado estava destinado a deixar o seu. Jogada clássica pervertida, bola na área de escanteio e Salgado usou a cabeça para enfim deixar o seu! 4 x 0, coração na comemoração e já pode deixar o campo! Foi descansar para a entrada de Romarinho, que deu linda assistência após receber passe por elevação de Deco num joguinho de ‘3 toque sem deixar pingar’. Como o Madureira alugou sua área para o adversário, Deco por cima, Romarinho de primeira e Beça no meio da área para fazer o quinto gol. Nada feito! Gabia não permitiu, tirou mais uma com o pé e ainda viu Gisa descontar em chute de chapa do meio da quadra, já aos 24. 4 x 1 e fim de jogo.
 
 
MEGAVIRADA
 
O Interativo bem que tentou, mas pela segunda vez acabou derrotado pelo Meganejo. E desta vez numa partida eliminatória. O time de Zé fez bom primeiro tempo e foi ao intervalo com a vantagem mínima, mas a água santa que a rapaziada do Meganejo bebeu no break foi algo de outro mundo! O time voltou mais ligado, pressionando, e acabou com o jogo em pouco mais de 10 minutos, quando fez quatro gols e um abraço!
 
Ao apito do árbitro, o vermelhão do pelo foi pra cima, sempre com Zé e Carioca. A dupla seria responsável pela maioria das jogadas ofensivas, como na pisada do segundo para arremate escorregando do primeiro. Mesmo assim, a bola passou perto! Zé de novo seria o finalizador, após Carioca receber na área e sentir a saída arrojada de Tutts, que dividiu bola, jogador e tudo que estava ali! O 18 ficou no chão pedindo pênalti e, da linha da área, a bola espirrada chegou a Zé. Ele só não marcou porque André Tartuce atrapalhou e o 10 mandou no travessão!!!! Por pouco!
 
Antes que Spa perdesse seu gol ao chutar pra fora da linha da área após a defesa rubra cortar lançamento da defesa azul, Zé apareceria bem outra vez junto a seu novo BFF. Ele deixou Carioca na cara do gol, mas Tutts salvou com o pé! Aqui não! Foi só então que o Meganejo se tocou que ou acordava ou seria devorado. E Pedro Henrique Lizarzaburu – que a partir de agora será chamado simplesmente de Lizar (leia-se, Lizár) – passou a dar as caras. Foi o camisa 14 que bateu falta da direita e ganhou escanteio. Ele mesmo foi pra área e usou a testa pra cabecear no segundo pau e não inaugurar o marcador porque Samuka foi gigante e voou no alto, na gaveta mesmo, para salvar. Eis Samuka no modo milagreiro acionado!!!!
 
A defesa do eterno gk do pelo motivou o time, tanto que aos 20 minutos anotou o seu gol. Kamau chegou atrasado, mas logo entrou e não tardou a deixar sua marca. Ele recebeu na esquerda do ataque, cortou pra dentro e soltou a sapatada baixa, quase do bico da área. Bola no canto do goleiro, bateu na trave antes de escorrer pra dentro do gol! 1 x 0!
 
Olha o Interativo aí, gente! Mas só não sofreu o empate antes do segundo tempo porque Caio Cunha tirou quase em cima da linha bola de Spa! Não foi no primeiro, mas com menos de 3 minutos da etapa derradeira o caldo interativo começava a entornar. Cruzamento da direita de Fechache para desvio de letra de Bruno Rios na área. Caixa! 1 x 1!
 
A virada não veio no minuto 4, quando Lizar tomou a bola de Kamau no meio e logo disparou a gol. A pelota foi no pé da trave e saiu pela linha de fundo!!! Nem veio no minuto 5, quando Rica recebeu na frente da área, virou e mandou a pancada. Samuka Voador evitou mais uma vez indo no alto e cedendo o escanteio! Pois é, mas no minuto 6, na cobrança do tiro de canto aí citado, a vaca deitou. A bola viajou até a cabeça de Spa. Eis que o goleirão saltou e nem borboleta pegou! E ele nem viu Spa cabecear pra rede com facilidade e determinação! 2 x 1!!!
 
O Interativo pediu tempo. Foram os minutos parados aí que explicam o 3 x 1 sair somente no minuto 9, com Rica completando pra gol após a bola ir pra área e ninguém conseguir afastar! Cadê o Interativo no Pelo?!?!?! Ficou no intervalo?!
 
O golaço de Victor Amaro sairia aos 11 minutos, mas antes disso teve muita coisa acontecendo! O jogo era eletrizante, com o Meganejo ligado no 220v e o Interativo, ainda no 110v! Rica teve nova chance após carregar tanto e sem marcação efetiva que perdeu a chance do bate e rolou para trás, para chegada e batida de Lizar. Mais uma defesaça de Samuka!
 
Yan experimentou sem muita fé de longe, de trás do meio de quadra, e a bola quicou, passou por Tutts e beijou na trave! Como goleiro tem que ter sorte, a bola voltou, bateu nas costas do goleirão e saiu em escanteio! Ufa!!!! Aí sim a pintura de Amaro, recebendo de cobrança de lateral, matando com estilo e jogando por cima de Samuka! 4 x 1 e Interativo nas cordas, bamboleando! Um assopro e ele cai!
 
Aos 16, o Interativo descontou após escanteio. Bola pra fora da área, Pedro chutou de peito de pé pra baixo. A bola pingou e morreu na rede! 4 x 2 e o pulso ainda pulsa! Tudo podia ficar lindo se Zé tivesse feito o gol mais feito que ele já perdeu na vida em contra-ataque de 3 contra 1. Mandella disparou pelo meio e tocou a Carioca na esquerda. Por sua vez, ele viu Zé entrando pela direita e rolou, já esperando o abraço! Que nada, Zé pegou muito mal na bola e ela – a um metro da linha do gol – decolou rumo ao teto da quadra!!! Nãããããããããããoooo! Mil vezes não!
 
Redenção! Zé é craque e todo mundo sabe disso, daí não ter sido surpresa ele se redimir pouco depois, aos 19. Lateral do meio alçado pra área, onde Zé estava e, de cabeça, fez o seu! Bola no chão, matando o goleiro, e rede! 4 x 3! O final promete!!!
 
Prometia, mas o Meganejo parou tudo e esfriou o jogo. Usou seu tempo para tomar aquela água benta do intervalo e voltou disposto a não correr riscos. Não correu, é verdade, mas o modo sanguinário também não deu muito certo, já que o time passou a perder gol atrás de gol, aproveitando o modo tudo ou nada do adversário. Foram várias chances pra matar o jogo, mas:
 
  1. Samuka dividiu com Vitor Amaro e salvou o contra-ataque;
 
  1. Samuka defendeu pra lateral canudo em falta da lateral esquerda de Lizar;
 
  1. Do lateral do lance acima, bola área é afastada e cai pra Dechache furar! Porém, Lizar estava ali e arrematou, errando o alvo!
 
  1. Amaro roubou no meio e ligou o contra-ataque para Rica, que mandou a bola pra lua!!!
 
  1. Rica tentou cortar Samuka e deu errado de calcanhar ao companheiro quando ficou sem ângulo;
 
  1. Decache acreditou no mano a mano e se deu mal diante de Pedro no pé de ferro, que saiu jogando e descolou bola pra Mandella dar de biquinho e errar por pouco!
 
Foram tantas chances perdidas pelo Meganejo que parecia que uma hora a bola ia punir. Não foi desta vez! Apito final, comemoração do Mega, que agora tem o Pervas pela frente antes da finalíssima! Dois times que criam muito e perdem muito gols.
 
 
ATROPELO
 
O IMZT atropelou o Absolutos no duelo que era tido como o mais equilibrado das quartas de final. O placar final de 4 x 0 é imponente e coloca o IMZT em pé de igualdade com o Camelo ao favoritismo ao caneco. Por sinal, os dois times se encaram na semifinal buscando estar na grande decisão, dia 11 de setembro.
 
Com 4 minutos, Rayan já colocava o IMZT à frente no marcador. Depois Gabi tentou pela esquerda e mandou o totó, que foi pingando e passou perto de Sorin! Já Noal esquentava os motores e iniciava o castigo – Alan salvou com o pé a canhota esperta. Já Chiaroni – herdeiro da camisa 10 de Caio Abdulla – chegou mais perto: em cobrança de falta, a bola explodiu no travessão!!!
 
O Absolutos tinha Gennaro, e com ele fez Sorin trabalhar pra valer. Rolada pro capitão branco no meio de quadra e dali um lindo chute que ia morrer na gaveta se não fosse Sorin voar e socar pra fora!!! Uau! Enfim algo depois de vários minutos sem emoção ou criatividade.
 
Kadu podia ter ampliado a contagem quando recebeu na direita bom passe de Brunca. Este carregou até onde deu e viu o companheiro passando. Kadu chegou chutando cruzado forte e errou! Ele ainda tentou dizer que buscou o cruzamento para Leandro, que entrava do outro lado mas não chegou a tempo tamanha a violência do chute! “Era pra você entrar...”, balbuciou ele. Só se ele fosse o Flash, Kadu! Entretanto, perto do fim da etapa, a jogada que o técnico Jairo pediu pra não deixarem acontecer. Noal recebeu de costas e girou para o pé esquerdo. Eu, você, o Jairo, minha mãe, o Joãozinho, até o Talibã sabia o que ele ia fazer! Sim, gol! Deixou o Noal ajeitar pra esquerda é meio gol! 2 x 0! Noal, o animal!
 
O segundo tempo começou e... gol! Pois é, o IMZT praticamente matou o jogo. E com quem? Noal, o bestial! A defesa e o goleiro não se entenderam, mas Noal sim. Beliscou e aproveitou a bobeada pra chegar a 7 gols na competição e contar os dias pra levar mais um troféu pra casa! Faz um BO, Absolutos! 3 x 0!
 
Muita luta sim, mas pouca efetividade e chances de gol. O IMZT segurava bem o placar, com boas participações de Gigli e Leandro. Lucas dos Anjos ainda foi resiliente e arriscou da lateral direita pra área uma paulada que saiu do outro lado. Cezinha Coração Valente foi atrás da bola na defesa azul e conseguiu o come em Andrey. Da direita, quase na linha de fundo, soltou um foguete pra Sorin defender do jeito que dava! E deu!
 
O 4 x 0 foi o tapa na cara da sociedade. O tapa na bola foi de Leandro, frontal. Fez a bola morrer na bochecha esquerda do gol de Alan. O apito final só serviu pra atiçar os ânimos e solicitar ao garçom: Vem, Camelo, que eu tô fervendo! Que jogo que vai ser esse!!!
 

Comentários

Total (0)