Notícias  » Geral

Título com sabor Dourado

           

Com três gols de Dourado e um segundo tempo avassalador, Kiwi goleia Bicho Solto e conquista a Divisão Prata do Apertura

As campanhas ruins “premiaram” Kiwi SP e Bicho Solto na disputa da Divisão Prata da IX Copa Apertura. Com objetivo de inaugurar a sala de troféus, as esquadras cresceram na competição e fizeram um duelo de oito gols. Os frutíferos entraram no solo vermelho com apetite, sangue nos olhos e contaram com a manhã inspirada de Dourado, autor de três dos seis tentos da equipe. Nadal e Vini tentaram frear a vontade da molecada, mas o Bicho teve que se contentar com o vice-campeonato e a sequência de três vitórias interrompida.
 
Equipes preparadas e escaladas na pedra, era hora da bola rolar. Nandinho, Dourado, Pepa, Stein, Vovô e os artilheiros Lipe e Alemão (ambos com seis gols) iniciaram a peleja pelo Kiwi. Do lado cinza, Michel, César, Elsinho, Felipe, Renan, Barletta e Nadal estavam prontos para a batalha. Com a bola rolando, o BS buscou o primeiro susto com o lançamento de Michel da quadra defensiva. O melão encontrou a cabeça de Barletta, que desviou para fora. Por outro lado, a kiwizada mostrou que o bicho não era tão feio, se impôs com trocas de passes em velocidade e aplicou dois golpes para deixar o oponente tonto nas cordas.
 
Com três minutos no relógio, Dourado acionou sua asa móvel e passou como quis no meio da marcação, esperou a definição de Michel e bateu no canto esquerdo. O score estava inaugurado, a lata aberta e o Kiwi ficava bonito na frente. 1 x 0! Quatro giros depois, Renan Amatto perdeu a posse da esfera no lugar que não podia, Alemão recuperou, ganhou jardas e deu um passe açucarado para Pepa arrematar forte dentro da área, sem chance para o arqueiro. Complicou hein, Bicho Solto! Hora de pedir break, professor! 2 x 0!
 
Demorou para que o duelo esquentasse após a pausa. Stein carimbou a barreira em cobrança de falta e a kiwizada estava com o jogo controlado. Já o Bicho tinha muita dificuldade para armar suas jogadas e, quando parecia que algo sairia, sempre faltava o último detalhe. No avanço de Barletta pelo corredor central, Nadal recebeu na direita e arrematou cruzado, mas faltou perna e sorte para seu irmão, que viu o melão se perder na linha de lado. Na sequência, Barletta bateu a carteira de Alemão antes da linha divisória, conectou Amatto na esquerda, chute teleguiado, porém, longe da meta verde. Será que o gol do BS está maduro?
 
A resposta frutífera veio na cobrança ensaiada de Stein para Dourado na ponta esquerda: chute venenoso e Michel buscou no canto direito. A redonda triscou no poste antes de se perder pela linha de fundo. No entanto, o lado cinza comemorou aos 16 minutos, quando Nadal partiu da ala canhota, puxou para o meio, calibrou para o pé direito e acertou uma cacetada na forquilha direita de Nandinho. RECEBA! Golaço para colocar pimenta na decisão! 2 x 1!
 
O tento animou a galera e Nadal voltou a incomodar a defesa verde com novo tiro venenoso, desta vez, Nandinho precisou buscar no canto esquerdo e ceder o corner. Depois, passe por elevação de Renan Amatto para Careca no corredor esquerdo, Elsinho fez pivô e quis devolver ao camisa 19, mas Nandinho chegou dividindo e executou a defesa. Era hora de parar o jogo, Kiwi!
 
Tinha bola para rolar e os cinco minutos finais foram alucinantes, com os dois lados partindo para a trocação. Os frutíferos retornaram com o gigante Spara para incomodar a defesa cinzenta. Não é que o cara atormentou mesmo?! Stein preparou um lançamento de 20 jardas para o pirulão, porém, no meio do caminho tinha Diego, que se atrapalhou com o efeito da pelota e deixou limpa para o camisa 5 ficar de frente para o crime, mas o tapa foi tão colocado a ponto de carimbar a trave esquerda, para desespero do seu banco de reservas. Que chance! O Bicho respondeu na mesma moeda, com Nadal acionando Felipe na esquerda, traulitada com muito veneno e Nandinho precisou espalmar pela linha de fundo.
 
Haja troca de golpes! Nandinho lançou Spara totalmente na banheira, tranquilidade para encobrir Michel, mas Nadal usou a cabeça para tirar em cima da linha. A réplica cinza veio com Careca disparando pela avenida direita, passe para trás e Renan chegou batendo e o goalkeeper kiwizeiro interceptou com o peito. O duelo esquentou, pessoal!
 
Nos acréscimos, Dourado desfilou pelo corredor central, tocou para Spara na esquerda, que encontrou a cozinha cinza aberta e inverteu para o chute de Bombinha em cima de Michel. O lance seguiu, escanteio pelo lado direito e o gigantão Spara nem precisou decolar para cabecear na baliza esquerda (outra vez!). O rebote ficou nos pés de Balda, que desperdiçou boa chance de aumentar a vantagem. Fim da primeira etapa, que dava pinta de ser morna pela vantagem do Kiwi, mas ficou aberto e eletrizante após o golaço de Nadal.
 
Assim como na etapa inicial, a kiwizada precisou de dois ataques para ter uma vantagem confortável e praticamente liquidar a fatura. Novamente com o relógio batendo os três jogados, contra-ataque bem articulado por Spara, lançamento milimétrico para Dourado ganhar na corrida e encobrir Michel. RECEBA! Que GOLÃO! 3 x 1! Aos 6 minutos, Lipe cruzou da direita e Alemão precisou chegar de carrinho para desviar e anotar o seu sétimo tento na competição. É, galera, acho que o mamífero mimoso acabou de deitar! 4 x 1!
 
O Bicho Solto ficou perdido, tentava encontrar um norte para manter-se vivo, mas tanto Renan quanto Nadal pararam em Nandinho. Enquanto isso, o lado verde estava insaciável e Soga, com todo o seu estilo de jogador “raiz” (camisa por dentro do calção), desfilou pelo centro, viu que a janela estava aberta e deu um lindo passe para Spara, dentro da área, soltar a marretada e guardar na gaveta direita de Michel. Aleluia, Spa! 5 x 1!
 
A turma cinza voltou a vazar Nandinho aos 13 minutos. Renan arriscou de longe e o arqueiro kiwizeiro deu um tapa no canto direito. A pelota tocou na trave, o rebote ficou com Marinho, que junto à linha de fundo, protegeu e rolou para trás, Vini chegou batendo rasteiro, cruzado no canto esquerdo da meta verde. 5 x 2! No lance seguinte, novamente a dupla Marinho & Vini em ação e quase saiu o terceiro com recuperação do BS18, assistência para o camisa 13 e Nandinho precisou trabalhar.
 
No entanto, a tão esperada pressão cinza não veio, nada de balbúrdia e o Kiwi queimou o relógio. Para piorar a vida do BS, Barletta foi obrigado a se retirar mais cedo e deu tempo para Dourado fechar a cortina, passar a régua e encerrar o espetáculo após receber lançamento de Nandinho. A zaga dormiu no ponto e o arremate rasteiro foi letal no canto direito. Que manhã inspirada do garotinho! Tripleta do 17 e seis gols no campeonato! Fim de papo! 6 x 2!
 
Depois de ir mal na fase de grupos, quando ganhou um dos quatro jogos que teve no Grupo A, o Kiwi colocou a casa em ordem e mostrou que pode ser carne de pescoço contra os seus adversários. A equipe emplacou quatro triunfos seguidos e fechou a Copa Apertura com um dos melhores ataques (34 gols). O que esperar da kiwizada em 2022? A Série Aço é logo ali e terá muito time preocupado em parar essa molecada.
 
Ficha técnica
 
Kiwi SP 6 x 2 Bicho Solto – Final da Divisão Prata da IX Copa Apertura

Gols: Dourado (3), Pepa, Alemão e Spara (KSP); Nadal e Vini (BS)

Cartões amarelos: Pepa, Spara e Dú (KSP); Falcetta e Barletta (BS)

Cartão vermelho: Barletta (BS)

Comentários

Total (0)