Notícias  » Jogos

NÃO SE IMPRESSIONE

       

Placar apertado não foi sinal de o SQS ter realizado jogo parelho ao Sagrado...
Não se pode negar: o Só Quem Sabe foi valente e demonstrou a raça peculiar de outrora, por isso acabou perdendo por um placar apertado. Porém, o 5 x 4 imposto pelo Sagrado não traduziu bem o que foi a partida. O líder do Grupo B jogou seu futebol natural e sempre esteve à frente, acelerando o ritmo quando apertado e não se colocando em sufoco em nenhum momento. Ao derrotado, a última colocação do grupo, mas com um sentimento de que a vida pode ser melhor daqui para frente.
 
Deco começou mostrando seu cartão de visita ao bater a carteira de Memé e avançar pela esquerda, chutando forte para Arthur Chan salvar a escanteio – batido para Cau cacetar, mas Chan lá estava. (Mesmo Cau, que receberia depois em contra-ataque, mas chutaria longe). Era apenas o começo do suplício do arqueiro do SQS, corroborado com o abafa sagrado na saída preta, com fácil recuperação e paulada de dedão de Gian no alto da entrada da área. 1 x 0! Chan teria vida de gado: Cau saiu costurando de trás e desceu a lenha, mas o guarda-metas não segurou e o rebote, ou melhor, o 2 x 0, foi de Deco!
 
Não restou ao professor Alê outra alternativa a não ser pedir tempo – este servindo apenas para descanso aos jogadores, já que, no retorno, até os únicos chutes a gol do seu SQS, estes desferidos na reta final do primeiro tempo, somente uma tentativa de Rodriguinho na entrada da área endereçado a Neil Armstrong. Depois disso foi ataque versus defesa. A triangulação Pipo, Deco, e Leco – este fintando na direita e arriscando para Chan rebater para frente – quase ampliou. Depois, em lateral pela esquerda, Deco meteu a testa para outra defesa de Chan.
 
Se o SQS não conseguia chegar à meta adversária, os próprios rivais faziam a esperança dos homens de preto: João Gualtieri teve de salvar fogo-amigo após escanteio! Só que Pipo logo tratou de recolocar o Sagrado no pedestal alto ao bater falta rasteira pela direita, tirando tinta da trave! Memé deu trabalho a Gualtieri, que mandou ao lado potência rasteira do eterno SNG. O problema é que sua equipe não saía dos braços sagrados, e na boa trama vermelha, Cau chutou rasteiro e Chan salvou à linha de fundo. Nada demorou depois disso para Leco tomar do adversário, tocar para Gian, e ver Deco fazer o gol-cegonha, em homenagem ao papai Pipo Valente! 3 x 0!
 
O placar só não foi aumentado antes do intervalo graças a Arthur Chan. Primeiro, seu SQS pensou demais sobre o retorno da chuva e deixou Leco soltar a galocha para o goleiro defender! Em seguida, a descida fulminante pela esquerda deixou Cadinho em condições de mandar rasteiro, com Chan abrindo o espacate para defender com o pé! O arqueiro ficaria esperançoso quando o SQS descolou lateral ofensivo e Pedrão (mentira, foi o garotinho Enzo, que usava a lendária camisa do matador) desviou para descontar. 1 x 3!
 
No retorno à etapa final parecia que o Sagrado teria apuros com a animação dos homens de preto. O busílis, porém, estava na triangulação pela esquerda como resposta às investidas do SQS: o escanteio cobrado chegou para Salgado ficar tranquilo e fazer 4 x 1! A impressão era de que o ímpeto demostrado seria apenas fumaça, mesmo que na trama em velocidade tenha feito Enzo chutar rasteiro, com Gualtieri encaixando o melão.
 
O Sagrado foi tirando o pé e o SQS se animou. A turma de vermelho puxou contragolpe e Deco mandou de bico pela esquerda, mas fraco. Na reposição de Gualtieri, sua zaga parou para conferir se tinha deixado os guarda-chuvas abertos para secarem e Memé apenas deslocou o goleiro, que saiu na tentativa do abafa. 2 x 4! Dois minutos depois, Dudu disparou em contra-ataque pela esquerda e sentou a botina para Chan defender. A resposta imediata veio com o SQS descolando lateral, batido para Jacobi desviar de cabeça na primeira trave. 3 x 4!
 
Há quem pensou que teríamos um jogo. Não o Sagrado. O time voltou à carga com Beça da intermediária, mas com chute para fora. Mezadri testou João Gualtieri, que encaixou a tentativa do presidente, mas Dudu e Saulo levariam Chan à loucura: na primeira o sagrado 15 mandou rasteiro da esquerda e o arqueiro efetuou a defesa, e depois o mesmo Dudu tabelou com sagrado 11 para deixa-lo na cara de um brilhante Arthur, o Chan! Só que o novo embate que teriam logo depois foi vencido por Saulo, que carregou e sentou a chinela, que desviou no caminho. 5 x 3!
 
Novo pedido de tempo do professor Alê, este querendo a solução ao empate. A elucidação, porém, não viria – até porque Chan faria milagre ao salvar nos pés de Mama no retorno! O goleiro teria novo trabalho ao barrar o chute de Gian da entrada de sua área. O mesmo Gian sairia de trás, abriria com Saulo na direita e receberia de volta na esquerda: Chan já estava cansado de ser bombardeado! O jogo poderia pegar fogo quando a troca rápida do SQS chegou para Jacobi descontar da esquerda (4 x 5!) e, em seguida, o professor Wilsola pedir tempo. Só que a ilusão do empate foi puro sonho.
 
Ficha técnica
 
Sagrado 5 x 4 Só Quem Sabe – 6ª rodada da X Copa Calcio
 
Gols: Gian, Deco (2), Salgado e Saulo (S); Enzo, Memé e Jacobi (2) (SQS)
 
Cartões amarelos: Cau (S); Alemão (SQS)
 
MVPs: 1 – Deco (Sagrado); 2 – Gian (Sagrado); 3 – Memé (Só Quem Sabe)

Comentários

Total (0)