Notícias  » Jogos

KIWI CAI DE PÉ!

       

Kiwi faz jogo duro, tem a bola da classificação, mas MOB arranca gol nos acréscimos e fará finalíssima contra o Bote Certo
Não faltou emoção na primeira semifinal da Copa Estrelato: gols perdidos por ambos os lados; bola da classificação; ataque tentando furar a defesa; “guerra” (no bom sentido) para conquistar um teco do território vermelho; gol nos acréscimos; e finalista esperado e um time caindo de pé. Em quadra estavam os dois principais ataques do torneio (MOB 48 x 43 Kiwi), com o MOB entrando com amplo favoritismo contra um “franco atirador” e ascendente Kiwi, de cinco vitórias seguidas. Se na fase de grupos a equipe de Gabiru e Biro conseguiu um bom triunfo por 6 x 3 – iniciando a grande arrancada amarela até aqui –, desta vez, o grupo teve dificuldades para furar a defesa adversária e se acostumar com o tamanho da Arena Chuteira – Chuteirão para os íntimos. O Kiwi complicou, mas o tento sofrido nos descontos deram aos mobenses a chance de disputar a primeira final no mundo chuteirense.
 
Os primeiros instantes do duelo mostraram que o MOB queria ficar com a bola e mostrar serviço, enquanto o Kiwi estava firme na proposta de fincar raízes na quadra de defesa e esperar aquele contra-ataque de respeito para cometer o crime. Com paciência e usando o seu carro-chefe, o toque de bola, a turma amarela iniciou uma boa sequência de ataques, obrigando Guigo a trabalhar. Pulga começou a trama, a pelota chegou aos pés de Rick na esquerda, inversão milimétrica para Negão preparar, apontar e soltar um tiro rasante no canto direito, mas o arqueiro kiwiense espalmou para fora. Quase!!!
 
Na sequência, Pulga encontrou liberdade na ponta canhota, disparou o míssil e o camisa 1 alviverde deu um tapa por cima da baliza central. Encerrando a blitz, Michel fez um carnaval na ponta esquerda, rolou para trás e Leco obrigou Guigo a executar mais uma defesa. A zaga afastou o perigo.
 
Lembra quando disse que o Kiwi esperava um contra-ataque para mostrar suas credenciais? Pois bem, a garotada liderada por Balda organizou a ofensiva pelo meio, Lipe apareceu na esquerda e estava pronto para concluir, no entanto, a perna salvadora do defensor mobense foi fundamental para que a pelota saísse pela linha de fundo lambendo o poste esquerdo! Enquanto isso, a turma de Gabiru continuava com o toque de bola envolvente na quadra ofensiva, só Seeh era o solitário na sua área – invejosos vão dizer que ele tinha um lugar privilegiado neste grande jogo. Na trama construída por Negão, Michel e Vitinho, Pulga chegou batendo, mas outra vez Guigo mostrava que o adversário precisaria se esforçar ainda mais para abrir a contagem.
 
A equipe alviverde seguia perigosa, e após a reposição de Guigo, Soga ajeitou para Lipe acelerar o possante na marginal esquerda, linha de fundo, rota para o lado direito, e, quase caído, conseguiu emendar uma sapatada dentro da área, mas Seeh foi monumental ao fazer um DEFESÃO, tirando o ‘uhhhh!!!!’ da galera que espiava a partida. Apesar do susto, quem estava perto da felicidade era o MOB: Rick deixou Soga na saudade e experimentou de longe. Por cima da meta! Depois, Leco evitou a saída da bola na esquerda (saiu, professor!), dominou e rolou para trás, Vitinho tinha a chance de mostrar que é artilheiro do campeonato, mas conseguiu uma furada épica e a redonda foi parar na lateral. Pelo menos o tento não foi marcado, senão, imagina a confusão que ia dar... Ai, ai, ai!
 
Até que, no minuto 18, e usando a sua especialidade, o score foi inaugurado. Tudo começou no lado esquerdo do ataque e com muitos gritos para que Vitinho se movimentasse para ser uma das opções ofensivas. Michel rolou para Negão na faixa central, que, com muita liberdade, soltou a redonda nos pés de Pulga, isolado na ponta direita. O camisa 8 dominou, deixou o defensor na saudade, avançou uns centímetros até chegar na área e tocar cruzado na saída do goleiro. O MOB largava na frente e o Kiwi pedia tempo! 1 x 0!
 
A princípio, o Kiwi tinha sentido o gol e a trombada entre Alemão e Lanzini mostrava bem isso (Falta? Pode colocar a trilha do “Os Trapalhões”). Artilheiro do campeonato e MVP da primeira fase, Vitinho queria aparecer na festa e ganhou na velocidade de Vovô na ponta esquerda, parecia Lewis Hamilton deixando para trás algum carro da Williams na reta, rolou para o meio e Michel apareceu para se consagrar, mas o chute não teve tanta força e o 80 kiwiense conseguiu cortar.
 
Chegando aos 25 minutos e mais um por jogar, o lado verde da força encontrou o seu tento graças a uma colaboraçãozinha da defesa amarela. Lum levantou a pelota para o meio do tumulto, Seeh pensava que conseguiria sair tranquilo da meta, mas se atrapalhou e entregou a paçoca nos pés de Gorda, que bateu em cima da zaga e a sobra ficou com Soga chutar com raiva, no centro alto da meta adversária. Que hora para arrancar o empate, Kiwi! Tudo igual e o time da estação ia para o intervalo com a energia no alto! 1 x 1!
 
Animado com o empate, o alviverde continuava jogando por uma bola, enquanto o lado amarelo seguia encontrando dificuldades. Com uma posse absurda e criando boas chances, a turma de Gabiru quase retomava a vantagem com Rick arriscando de longe, mas passou à esquerda de Adas. A resposta do Kiwi veio na base da bola parada. Falta a um passo da faixa central, quadra defensiva e Stein contrariou todos que assistiam ao soltar um torpedo teleguiado em direção à meta que Seeh precisou se esticar no canto direito para fazer uma intervenção e escanteio para o alviverde! Baita cobrança e os frutíferos não estavam na semifinal à toa!
 
Em uma sequência de três ataques, o MOB ficou no quase, a ponto de pedir tempo para organizar melhor as jogadas. Seeh iniciou a primeira trama, bola para Nego, Rick recebeu na faixa central, Vitinho surgiu na ala direita, buscou devolver para o 7 amarelo, mas Lanzini conseguiu afastar o perigo. No lance seguinte, Michel serviu Rick na direita, corte para cima do defensor e chute colocado, porém, à direita de Adas. Fechando a trinca, Michel ajeitou para Vitinho fazer o pivô, a redonda chegou cheia de graça para Rick se consagrar, mas o tiro foi torto demais, sem perigo.
 
Veio o minuto 15 e eis o divisor de águas da semifinal. Roubada de bola na quadra defensiva e o Kiwi partia para o contra-ataque. Defesa amarela desguarnecida, Alemão com a bola cruzando a metade da quadra, GB recebeu na direita, mano a mano, Seeh saiu da meta pronto para abafar, mas o camisa 2 tirou demais do arqueiro, mandou alto, beijando o travessão e a chance do “crime” indo para o ralo. Ah, Kiwi! Faltou maturidade nessas horas, meu consagrado!
 
Depois do susto, o que vimos foi o MOB querendo resolver o confronto, enquanto o adversário seguia nas cordas e rezando para o overtime. Falta a favor do lado amarelo, jogadinha ensaiada (olha a graçola aí, pessoal!), Rick rolou para Vitinho, mas Adas foi arrojado e dividiu com o avante mobense. Não era o dia do camisa 10! Na sequência, Michel acionou Leco na direita, corte e tiro passando à esquerda. Haja pressão!
 
Quando a galera clamava por prorrogação e até mesmo shoot outs, eis que saiu o gol da classificação, aos 27 minutos. Michel pegou a redonda na ala esquerda, colado à linha de fundo, e rolou para trás, Negão recebeu o presente, invadiu a área e emendou um chutaço, que contou com desvio de Adas e morreu no canto direito. É pessoal, o MOB retomava a vantagem no momento-chave da partida e a um passo da decisão! 2 x 1!
 
A turma de Gabiru poderia ter uma folguinha na contagem se Vitinho não isolasse a pelota após receber o passe de Pulga. No lance seguinte, Lipe buscou organizar a última ofensiva enquanto seus companheiros pediam a redonda em melhores condições, mas o 11 Kiwi foi fominha, quis resolver sozinho e mandou a chance de mais 10 minutos de futebol para o espaço. Fim de papo!
 
Com uma postura defensiva, apostando nos contra-ataques e tendo a bola do jogo em seus pés, o Kiwi impressionou e caiu de pé. Impôs dificuldades ao adversário e faltou um pouco de maturidade para que a campanha rendesse frutos. A sequência de cinco vitórias foi interrompida e o grupo passa a pensar na Copa Apertura, quando estreia dia 6 de março. Quem sabe pinte uma vaguinha no Chuteira 5, hein!?
 
Acostumado com a quadra menor, o MOB sentiu como é jogar no solo vermelho, teve problemas, mas manteve o favoritismo. Seu adversário rumo ao primeiro caneco será contra o único 100% da competição, o Bote Certo. Há quem diga que o nível de dificuldade será maior, mas só saberemos quando a pelota rolar daqui uma semana. Até lá, é bom a galera amarela fazer um “intensivão” na quadra maior nos próximos dias para não sentir tanto como aconteceu na semifinal.

OBS: Mais sobre o jogo você pode ver no Planeta Estrelato, disponível aqui.
 
Ficha técnica
 
S.E. MOB 2 x 1 Kiwi SP – Semifinal da VII Copa Estrelato
 
Gols: Pulga e Negão (MOB); Soga (KSP)
 
MVPs: 1 – Michel (S.E. MOB); 2 – Pulga (S.E. MOB); 3 – Soga (Kiwi SP)

Comentários

Total (0)