Notícias  » Jogos

PRIMEIRO A ENTRADA!

       

Kiwi supera dificuldades e vence o Saidera
Um dos embates da primeira rodada que tivemos pelo Chuteira 5 foi entre Kiwi e Saidera. Vimos um Kiwi, já entrosado e conhecido de outros campeonatos, construir o placar de 3 x 2 na reta final do primeiro tempo. Mesmo após um tempo equilibrado, os dois gols de vantagem abertos dificultaram para o Saidera, que só conseguiu um gol no segundo tempo e não foi páreo para os alviverdes.
 
O duelo entre Kiwi e Saidera foi bastante disputado do início ao fim. Desde os primeiros instantes, quando uma chuva de granizo deu o ar da graça, até os últimos minutos, o jogo foi de trocação pura. No início, por ser primeira rodada e também pelo fator chuva, os times buscavam se estudar melhor para que pudessem incomodar a defesa adversária. O Saidera insistia em algumas bolas longas no princípio, algo que rapidamente percebeu-se que não era a melhor opção. Flavinho foi o primeiro a sentir na pele e recebeu um passe longo demais.
 
O Kiwi tinha poucos jogadores no banco de reservas e um jogador de linha improvisado no gol. Obviamente o Saidera notou, e logo Maicon bateu de fora pra testá-lo, mas o improvisado Coyote não demonstrou nervosismo. Lipe foi o primeiro do lado verde a arriscar. Mandou cruzado à esquerda do gol de Carlão. Logo depois, Alemão, uma das caras mais conhecidas do Kiwi, também insistiu de fora da área e não foi feliz. 
 
Com o decorrer do jogo, os times foram se soltando e a peleja foi ficando mais aberta. Fumagalli lançou uma bola - espetacular! - na caixa de Puglisi, que agasalhou e, na hora de virar o voleio, acertou em cheio o pé do adversário. Deu pra ouvir o grito de longe. 
 
Nos primeiros 10 minutos o Kiwi era superior. Por mais que o jogo ainda não tivesse tido grandes emoções pra nenhum dos lados, a postura do Kiwi na quadra transmitia mais vontade na busca pelo resultado, algo que ficou ainda mais evidente quando Lipe recebeu na direita e nem sequer titubeou para marcar o primeiro gol do Kiwi. 1 x 0! Tirando o zero do placar e jogando a pressão pro outro lado.  
 
O gol não abalou o Saidera, que ainda não havia conseguido oferecer muito perigo ao gol de Coyote. Na saída de bola depois de sofrer o tento, Arnaldo descolou um lateral e jogou rapidamente na área, a bola cruzou na frente do arco e ninguém apareceu para empatar. Faltou aquele pézinho! Alemão seguia tentando calibrar sua finalização e exigiu uma defesa segura de Carlão em nova batida de esquerda. 
 
Como dissemos aqui, embora não fosse aquele jogo cheio de oportunidades, era uma peleja aberta e gostosa de se assistir. Ficou ainda mais quando Harada fez um pivô de cinema e Arnaldo finalizou no cantinho para empatar o jogo. 1 x 1! Não deu pro Coyote e a bola morreu na bochecha direita. E se o gol do Kiwi não havia desestabilizado o Saidera, não podemos dizer o contrário. No bate-rebate seguinte, Harada simplesmente tentou unir Zidade e Ronaldo no mesmo lance! Exatamente isso que você leu. Primeiro ele deu aquele famoso girinho do Zizou em cima da bola, depois tentou finalizar de biquinho, tal qual nosso fenômeno contra a Turquia em 2002. Se entra… 
 
Pouquíssimo tempo depois da quase pintura de Harada, o saidera 16 acabou cometendo uma falta dura na tentativa de pressionar a saída de bola. Tarjeta amarela pra ele. A falta não levou perigo e saiu desviada pra lateral. No arremesso manual, bola pra Alemão pegar com gosto de esquerda. Sem direção. 
 
Mesmo aparentando uma leve superioridade no final do primeiro tempo (talvez pelos poucos reservas), o Kiwi praticamente resolveu a partida nesse período. Antes, Fabricio tinha desperdiçado boa chance após novo pivô de Harada. Confiou na esquerda e não foi nem um pouco feliz. E aí acontece aquilo que o futebol está cansado de proporcionar. Chute de longe, batida de roupa de Carlão e um leve toque de Torkar para recolocar o Kiwi em vantagem. 2 x 1! 
 
Quase tivemos o replay desse lance do outro lado, ainda no primeiro tempo. Coyote bateu-roupa no petardo de Lucas e Bruninho teve a bola do empate nos pés, mas tentou cavar e desperdiçou. Aí aquele ditado do “quem não faz, toma” apareceu. Na última bola da etapa inicial, Puglisi recebeu de costas, girou e mandou no alto, sem chances para Carlão. 3 x 1! Que golpe duro para se levar antes do intervalo! 
 
O placar era bastante favorável ao Kiwi quando começaram os 25 minutos derradeiros. No entanto, o fato de ter apenas dois reservas e um goleiro improvisado deixavam grande a expectativa para o jogo completamente. Só que o Kiwi começou a segunda etapa a mil por hora, veja só! Exigiu dois milagres do goleiro Carlão logo de início. Primeiro no chute de Alemão que iria no cantinho, depois no belíssimo pivô de Lucas para Fumagalli bater colocado. Duas defesas fantásticas! Para tentar reanimar o Saidera. 
 
Precisando de gols, não restava outra alternativa a não ser testar Coyote. Ele foi seguro e não deu rebote no chute de Flavinho. Mas tem horas que as coisas não dependem só de você. Falta do lado esquerdo de ataque do Saidera, Harada na bola. O chute parecia que iria tranquilo nas mãos de Coyote, mas um leve desvio de Barata mudou a trajetória e colocou a redonda no cantinho. 2 x 3! 
 
Como ainda restava grande parte do segundo tempo, qualquer resultado era possível. E daí em diante a partida foi ficando não só mais nervosa, como mais difícil de ser arbitrada. Até por isso, a juizada tratou logo de mostrar um amarelo para Stein em lance onde esboçou-se um princípio de confusão. Dito isso, o Saidera buscava o empate, principalmente quando a bola passava por Harada. Depois de receber belo lançamento de Carlão, ele meteu um calcanha e deixou na boa para Arnaldo, mas ele chutou o pé do adversário. 
 
O Kiwi visivelmente tinha que correr e suar mais do que o normal pra garantir esses três pontos. Mesmo assim, contar com a sorte sempre ajuda! O coração dos kiwienses veio na boca quando, após escanteio, Fabricio pegou um sem-pulo maravilhoso, a bola pegou no chão, no travessão e tirou um “uuuh” do banco do Saidera. Quase o empate! 
 
Só que estamos falando de futebol. O Kiwi não estava ofensivamente morto, pelo contrário, seguia buscando encaixar um contra-ataque para liquidar a fatura. Ele quase veio na bela recuperação de Balda, que rolou pra Fumagalli colocar perto do ângulo de Carlão. Que lance! Um minuto depois, novamente Carlão espalmou o chute de Lipe e mandou pra escanteio. 
 
A essa altura, o Kiwi focava muito mais em fazer minutos finais próximos do erro zero do que em ampliar o marcador. Afinal, a vitória naquelas condições provavelmente não era algo que se esperava. E a pressão em algum momento era inevitável. Uma das melhores chances do Saidera veio em uma sequência de escanteios e bolas alçadas na área do Kiwi. Barata bateu duas vezes seguidas de longe e viu Coyote espalmar ambas pra linha de fundo, mesmo sem muita convicção nas defesas. 
 
Já nos minutos finais, outras duas batidas de roupa de Coyote pro meio da área assustaram o Kiwi. Uma no chute de Lucas e outra no chute de Arnaldo, mas ninguém conseguiu aparecer pra conferir os rebotes. Aliás, só se viam camisas verde nos rebotes, que disposição! 
 
E foi assim que terminou o tempo. Excelente vitória e desempenho do Kiwi, que “soube sofrer” e administrar o resultado. Os kiwienses voltam à quadra no próximo sábado para enfrentar o Oscuro, já o Saidera buscará a reabilitação diante do Entre Amigos.
 
Ficha técnica

Saidera 2 x 3 Kiwi – 1ª rodada do Grupo B do Chuteira 100 - Chuteira 5
 
Gols:  Arnaldo e Barata (S); Lipe, Torkar e Puglisi (K)
 
Cartões amarelos: Arnaldo e Barata (S); Torkar, Lipe e Stein (K)
 
MVPs: 1 - Harada (Saidera); 2 - Lipe (Kiwi); 3 - Alemão (Kiwi)  

Comentários

Total (0)