Notícias  » Jogos

CACILDES, O IMPIEDOSO

       

Equipe fecha fase de grupos com goleada de 9 x 2 sobre o eliminado Independiente del Baile e está nas quartas de final
Em clima de despedida, o Independiente del Baile enfrentou o Cacildes de Ramos para treinar e fazer valer o não WO. Claro que deu a lógica. Goleada do Cacildes e classificação direta para as quartas de final.
 
O Cacildes jogou como se fosse jogo eliminatório, sem brincadeira, e não deu a menor sopa para o azar. Com atuação de gala de Orelha e Pelé, a equipe controlou a posse de bola e criou inúmeras oportunidades de gol, para desespero do goleiro Santi, que sofreu 9 gols, mesmo realizando defesas importantes.
 
O começo do jogo foi muito movimentado. Com as duas equipes tendo o futuro selado, não existia aquele nervosismo ou preocupação na construção de jogadas. Assim, os gols começaram a sair cedo. Logo na primeira jogada o Independiente abriu o placar com Paduan, mas nem deu tempo de comemorar. Orelha empatou para o Cacildes, logo em seguida, antes do segundo minuto de jogo. 1 x 1!
 
No entanto, a esperança do Independiente acabou na hora que levou o empate. Orelha, confiante, finalizou da meia direita de canhota e, com leve desvio da marcação, fez a bola morrer no canto esquerdo de Santi. 2 x 1!
 
A estratégia do Cacildes em todas as partidas é ter a posse de bola e atacar o adversário. Nunca a equipe entrega a bola para o adversário e joga recuada. A estratégia é uma mistura de Guardiola (controle da bola) com verticalidade de Klopp (criar espaço para ter chances de gol), tudo isso dentro do society. Parece ter dado certo na fase de grupos e nessa partida. Como o Independiente del Baile defenderia?
 
Cada vez mais empurrando o adversário para trás, o Cacildes tinha o defensor e último homem, Alex Santos, adiantado à frente da linha do meio-campo, restando apenas o goleiro Lino, que assistia ao time atacar o adversário.
 
O gol mais feito da história da Copa Estrelado foi perdido por Rafinha. Depois de ótima jogada de Léo Rinaldi pela esquerda, ele limpou a marcação e chutou cruzado. Debaixo da linha, Rafinha pegou torto de pé esquerdo e chutou para fora! I-NA-CRE-DITÁ-VEL! O lance foi tão absurdo que o Independiente del Baile pediu tempo para tentar corrigir os erros defensivos. Não deu nem um pouco certo.
 
Santi segurou finalizações de Bebê, Léo Rinaldi e Orelha. Era questão de tempo para os gols aparecerem. O terceiro gol veio do artilheiro da equipe. Bebê recebeu passe na direita e, depois de perder algumas chances, decidiu tocar para a área, para o artilheiro Léo Rinaldi empurrar para o fundo do gol. 3 x 1!
 
No segundo tempo, o Cacildes começou a etapa como se tivesse 0 a 0; partiu para cima e marcou cedo. Léo Rinaldi recebeu a bola no pivô, mesmo marcado por três defensores, e rolou para Alex Santos chutar no canto esquerdo de chapa para ampliar. 4 x 1!
 
O gol logo cedo – com 30 segundos – frustrou o Independiente, que deveria subir a linha de marcação e cortar a liberdade do Cacildes de sair jogando. O goleiro Lino, do Cacildes, decidiu aparecer, negativamente. Demorou para se desfazer da bola, foi desarmado e levou o gol de Verto. 4 x 2! Dá?!
 
A resposta é não. Não deu tempo para comemorar. No lance seguinte, Andrezinho fez ótima jogada individual, limpou dois marcadores na esquerda, puxou para o meio e finalizou no ângulo. Golaço! 5 x 2! Lino tentou de novo sair jogando e quase levou outro gol. Pode ser o calcanhar de Aquiles o ‘excesso’ de confiança do goleiro para os duelos de mata-mata. Erro assim costuma ser fatal.
 
Verto foi o melhor jogador do Independiente del Baile, que correu, se dedicou, tentou orientar os companheiros, ficou bravo com arbitragem, mas não foi moita dentro de campo. Só que o Cacildes é mais time, ainda mais na situação de já eliminação do Independiente. Na metade final da segunda etapa, o time cravou o placar elástico com gols. O sexto foi de chamar o Puskas! Rafinha puxou contra-ataque do campo de defesa, avançou sozinho contra três e aplicou um drible de baixo das pernas de Paduan. Passou e chutou de bico no canto esquerdo de Santi. Um gol mais bonito que o outro! 6 x 2!
 
Virou baile. Pelé apenas ficou esperando o cruzamento de Bebê, sozinho, dentro do gol, apenas empurrou para aumentar a conta. 7 x 2! O oitavo saiu após ótima jogada de Pelé, que tentou a finalização pela direita, mas Bebê colocou o pé na bola e comemorou o gol. para fechar, a parceria de Bebê e Pelé deu novo fruto. Outro gol de Pelé, com outro passe de Bebê! 9 x 2 e fim de baile.
 
O Independiente dá adeus à Copa Estrelato com 4 pontos: 1 vitória, 1 empate e 4 derrotas. A equipe vai precisar no próximo torneio melhorar as opções de jogo: não ser ‘refém’ do estilo contra-ataque, marcar com mais energia e saber trocar passes entre defesa e ataque.
 
Por outro lado, o Cacildes de Ramos finaliza a fase de grupos com uma campanha de fazer inveja: 15 pontos, sendo 5 vitórias e 1 derrota. O time que gosta da posse de bola está classificado direto para as quartas de final e vai assistir de camarote a disputa das oitavas no dia 25 de junho.
 
Ficha Técnica
 
Cacildes de Ramos 9 x 2 Independiente del Baile – 7ª rodada do Grupo A da IX Copa Estrelato
 
Gols: Alex Santos, Andrezinho, Bebê, Pelé (2), Léo Rinaldi, Rafinha e Orelha (2) (CR); Paduan e Verto (IB)
 
Cartão amarelo: Padwan (IB)
  
MVPs: 1- Pelé (Cacildes de Ramos); 2- Bebê (Cacildes de Ramos); 3- Orelha (Cacildes de Ramos)

Comentários

Total (0)