Notícias  » Jogos

Eletrizante! Resenha bate Jeremias no último minuto

       

Jogo teve viradas, goleiro fechando gol e show de Jorge Melki
Só Resenha e Jeremias fizeram o grande jogo das oitavas de final. Decidido no último minuto, a disputa contou com duas reviravoltas no placar, um jogador de cada equipe marcando um hat-trick e terminou com a classificação do Só Resenha, após um triunfo por 5 x 4.
 
Ambas as equipes começaram o jogo com uniformes parecidos – pelos menos aos olhos do juiz. O Só Resenha teve que trocar seu uniforme negro com detalhes verdes pelo tradicional alviverde listrado, já que Jeremias ostentava um azul escuro, quase negro. Com a bola rolando, veio dos pés de Joelson a primeira oportunidade; ele chutou e Chaluppe mandou pra escanteio. Na segunda chegada do Resenha, porém, o placar fora inaugurado: Jorge Melki pegou no centro de campo, avançou com propriedade e bateu de chapa, marcando um bonito gol.
 
Em busca do segundo, a esquadra resenheira seguiu atacando. Uccella invadiu a área, foi desarmado e a bola sobra ficou com Jorge Melki, que levantou para o próprio Uccella bater forte, de primeira; Chaluppe fez grande defesa. Depois Melki serviu Joelson, que foi desarmado pelo arqueiro. O Jeremias começou a crescer pro jogo e Tingão levou perigo em chute de fora da área.
 
Aos 10, a equipe celeste alcançou o empate. Dunder desarmou Uccella na lateral esquerda e passou para Lucas Rangel, que bateu pro gol; Pirulão fez grande defesa, mas Dunder pegou a sobra e quase furou as redes – por pouco não arrancou também a cabeça do goleiro adversário. Jéhmires partiu da defesa até a área de Chaluppe e bateu colocado, para fora. Depois Melki encontrou Uccella em condições, mas Chaluppe defendeu.
 
 
O jogo seguiu disputado, mas o Só Resenha era ligeiramente melhor. Depois de tabela de Uccella e Jorge Melki, Jéhmires acertou o travessão. Em seguida Jorge Melki passou por Thiago Bim com classe e cruzou para a área, onde Joelson aguardava para recolocar o alviverde na frente. O Jeremias respondeu imediatamente. Tingão avançou da defesa e assustou Pirulão, chutando da esquerda. Aos 19, o empate azul: Junior foi até a linha de fundo e passou para Diogo Sala, que bateu cruzado para área, onde Dunder surgiu para marcar seu segundo no jogo e reigualar o marcador. E Dunder quase virou, em seguida, de cabeça.
 
O empate não perdurou por muito tempo. Aos 22, Jorge Melki recebeu de Feijão, de costas para o gol, e deixou para Uccella, que passava na esquerda. Ele tirou o zagueiro e bateu consciente, marcando o terceiro. Chaluppe evitou, a um minuto do fim, que Uccella assinalasse o quarto, de falta.
 
Chaluppe começou a segunda etapa sendo exigido novamente: Renatinho bateu forte e o goleiro foi buscar. Dunder devolveu com um belo lançamento para Junior na direita, mas o camisa 3 bateu pra fora. A troca de golpes continuou e dessa vez foi Uccella quem recebeu de Jehmires dentro da área e obrigou Chaluppe a salvar o Jeremias mais uma vez. Lucas Oliveira teve sua chance quando a bola sobrou limpa para ele próximo ao gol, mas o atacante bateu mal.
 
Aos 11 do segundo tempo o Jeremias chegou ao empate. E mais uma vez com Dunder. Depois de cobrança de escanteio, o camisa 10 surgiu livre, deu um peixinho e deixou tudo igual. Jorge Melki tentou pelo outro lado, cobrando falta venenosa, mas Chaluppe estava em grande tarde. Os jeremienses estiveram perto de virar quando Lucas Oliveira recebeu de Dunder e dividiu com Pirulão; os dois caíram, a bola bateu no atacante e por muito pouco não entrou.
 
Fabinho salvou o Só Resenha quando Jehmires perdeu bola boba para Thiago Bim, que passara para Dunder bater; o capitão resenheiro tirou quase em cima da risca. Em seguida, Chupeta saiu cara a cara com Chaluppe e o goleiro fez outra grande defesa. Melhor ainda foi a intervenção do arqueiro após chute de um já exasperado Uccella, que desferiu golpe cruzado da direita.
 
Foi aos 18 que aconteceu aquilo que o delegado mais temia: a virada azul. Em um descuido da defesa, Dunder avançou livre desde a linha do meio de campo até próximo à área e bateu forte. Gol. 5 x 4 ao Jeremias. O Resenha pediu tempo. A bronca surtiu efeito: na volta, Uccella avançou na esquerda e bateu forte; a bola desviou e foi para o escanteio, que, cobrado, encontrou a cabeça careca de Jorge Melki, testando para o fundo das redes.
 
Faltavam cinco minutos para o fim e o Só Resenha resolveu fazer o simples. Insistiu em uma jogada muito utilizada durante a partida e que já havia dado certo no terceiro gol da equipe: um jogador recebia de costas para o gol e deixava para um segundo, que passaria pela avenida que o Jeremias vinha deixando no lado esquerdo da quadra. Primeiro Melki recebeu de Joelson e deixou na esquerda para Uccella, que bateu muito fraco – a corneta feminina que habitava as arquibancadas não perdoou. O Jeremias respondeu com Preto, mas Pirulão defendeu.
 
O Resenha tentou mais uma vez a mesma jogada: dessa vez foi Renatinho quem segurou a bola de costas e Jorge Melki quem passou na esquerda. E dessa vez deu certo: o camisa 7 saiu livre, bateu bonito, de chapa, e sacramentou a vitória do Só Resenha. Sobrando só alguns segundos, o Jeremias tentou pressionar e forçar uma prorrogação. No último lance, Dunder chutou de fora de área e Fabinho afastou.
 
Não havia tempo para mais nada. O Jeremias fora valente, a melhor equipe dentre as promovidas do último Chuteira de Prata, mas estava eliminado. Já o Só Resenha está entre os oito e já deixa bem claro que sim, tem muitas chances de chegar ao título. A prova de fogo é nas quartas de final, ante o Mercenários.
 
Ficha Técnica
 
Só Resenha 5 x 4 Jeremias – oitavas de final da XVII Chuteira de Ouro
 
Gols: Jorge Melki (3), Uccella e Joelson (SR); Dunder (3) e Lucas Rangel (J)
 
Cartões amarelo: Jehmires (SR); Lucas Oliveira (J)
 
MVPs: 1 – Jorge Melki (SR); 2 – Dunder (J); 3 – Joelson (SR)

Comentários

Total (0)