Notícias  » Jogos

MEU DANONE É VIGOR

       

Danonight se impõe na bola contra Real Migué, controla jogo do início ao fim e chega à inédita final
O time que disputou e ganhou 6 jogos de goleada está na final após a sétima vitória ser conquistada ante o Real Migué na noite de quarta-feira dia 24 de novembro! Não foi de goleada – um 4 x 2 controlado do início ao fim –, mas mostrou que o Danonight tem um ímpeto guloso pela bola, pelo ataque e por vencer e convencer!
 
Com Gagol anotando três gols e assumindo a artilharia desse Chuteira 100|5, os diabos laranjas impuseram ritmo forte desde o início empurrados pela enorme torcida e um DNA daqueles ofensivos que raramente se vê hoje em dia. O Migué suportou o quanto pode, com boas atuações de Alê e Felipe Camilo, mas o volume de jogo do Danonight impressiona, assim como a trinca de meio-campistas formada por Quintal, Bruninho e Caio Mena. Mais que K10 ou Gagol, eles são os responsáveis pela invejável campanha que pode ser coroada com o título no fim de semana do dia 4.
 
Mal começou o jogo e o Danonight mostrou que ia se impor. Em 3 minutos, esquentou duas vezes as luvas de Denis, que despachou pra escanteio tiro de Caio Mena da direita e outro de Bruninho mais central. O Migué teve a bola e uma finalização pela primeira vez em seguida, quando recuperação atrás fez a redonda chegar a Felipe Camilo na esquerda e dele partir o chute pra fora. Depois disso, a superioridade danone estaria no placar.
 
Com 6 minutos, jogada na esquerda, Caio Mena ganhou na corrida, deixou Chris pra trás, foi até a linha de fundo e cruzou pra K10 chegar batendo pra defesa de Denis! A bola ficou viva na área e se ofereceu a ele, Gagol, que tocou e a bola entrou! Estava aberto o placar, para delírio da imensa torcida laranja e branca presente! 1 x 0!
 
O Migué se viu obrigado a sair da toca. Testou Johnny em chute cruzado de Léo e arremate de longe de Camilo – na primeira ele agarrou e na segunda espalmou pra cima e a bola caiu na rede atrás do travessão! Que perigo! Tiro de canto batido e Alê surgiu pra testar bola à meia altura pra fora.
 
Apesar disso, o Danonight era senhor do jogo, tinha mais a bola e criava as melhores chances. Em contra-ataque, só não marcou o segundo em jogada de K10 com Gagol porque Léo cortou na área antes do complemento! Em outra jogadaça da dupla, Gagol tabelou e mandou a paulada cruzada da esquerda que Denis jogou pra fora! Para! Tempo do Migué!
 
Na volta, provou-se que nem o papo resolveria a parada. Escanteio batido, Gagol correu pra área lá do meio e chegou na frente de todo mundo pra cabecear cruzado da entrada da área e marcar! Gagol neles! O hómi tá com tudo! 2 x 0!
 
O Danonight chegava por todos os lados – esquerda, direita, meio. O Migué não segurava a pressão e o que salvava era que a defesa na área cortava os cruzamentos. De longe Denis ia se garantindo, defendendo como dava, como fez em chute da linha de fundo de Bruninho e após cabeceio de Zeppini no escanteio.
 
A sorte sorriu ao Migué, que descontou aos 20 minutos. Léo tabelou pelo meio e saiu na direita livre pra bater cruzando de biquinho no canto e vencer Johnny. 2 x 1 e temos um jogo!
 
Até o apito final da primeira etapa, pouco ou nada aconteceu. Teve uma falta perto da área em que a bola ficou viva e ninguém de laranja conseguiu empurrar pra dentro antes da defesa afastar. O Migué levava ao intervalo um placar magro diante da superioridade mostrada pelo Danonight...
 
Se era magro, engordou um pouco logo nos primeiros minutos do segundo tempo! Caio Mena mandou bola por cima da defesa ao ataque, Mama deu o toque de primeira, de chapa, pra dentro da área, onde K10 escorou também de primeira na gaveta, sem chances pra Denis! Que jogada! Que belo gol! 3 x 1!
 
Com a torcida inflamada e indo se posicionar atrás do gol de Denis, o Real Migué sentiu o golpe e se mostrou desanimado nos minutos seguintes. Bruninho esquentou do meio e Denis despachou pro lado! Entretanto, o gol esfriou o jogo. E o Danonight. O Migué também. Até o minuto 10, quando o aurinegro pediu tempo, o jogo não teve grandes emoções. Na volta, Biel tentou de biquinho e Fidel desviou a escanteio. Em contra-ataque que Biel serviu Gustavo, um pé atrapalhou o outro na hora de matar e bater que a bola escorreu pra linha de fundo...
 
Aos 16, o Danonight mataria o jogo. Alê tentou sair jogando, Caio Mena não deixou e ganhou o lateral. K10 bateu pra área, a bola passou por dois defensores, por Mama, e se ofereceu a Gagol soltar a meia bicicleta da linha da área e marcar mais um! 4 x 1 com hat trick de Gagol! Seguuuuuuuuuuuura!
 
O próprio Danonight pediu o break pouco depois. Teria menos de 10 minutos para segurar o resultado e comemorar a final inédita – apesar da torcida cantar que o campeão voltou. Como era de se esperar, o Migué foi para o tudo ou nada. Jogada na direita entre Rotta e Guto para cruzamento e batida muito mal de Alê, no lado esquerdo perto do bico da área. Ele pegou na orelha da bola e ela saiu torta. A pressão no campo danone foi a tônica, e Fidel entregou quando apertado. Na jogada, que saiu em lateral, acabou em chute pra fora de Léo.
 
Aos 22, o Migué descontaria e manteria as esperanças. Alê, em partidaça, evitou que Guigou marcasse ao tabelar com K10 e aparecer pra completar na área – a jogada padrão do Danonight. O defensor aurinegro já ligou o irmão no contra-ataque este Moura na esquerda. Ele jogou pro pagode e, no que a bola pingou, Guto deu leve desvio (será mesmo?), ela enganou Fidel e entrou mancinha! 4 x 2! O pulso ainda pulsa!
 
Se pulsava, o Danonight tratou de esfriar o jogo e prender a bola. Ainda deu tempo de K10 experimentar do meio e passar perto do ângulo. A torcida, que se calara, voltou a se animar e entoar um “tá chegando a hora”. Já aos 25, Léo Braz só foi parado com falta perto da área e o Léo do Migué tomou amarelo. K10 bateu direto e desvio do goleiro no alto evitou outro gol!
 
Nem os acréscimos infindáveis puderam mudar o placar do jogo, que ainda teve Moura deixando um danone na saudade ao cortar ao invés de bater ali da esquerda – seu chute em seguida passou raspando a trave! – e o corisco Léo Bráz teve contra-ataque com direito a dois dribles, rolinho e um gol perdido ao bater rasteiro pra fora! Aí não! Mas a vitória se concretizou, muita fumaça laranja e Danonight de camarote pra esperar seu adversário da final no dia 4 de dezembro!
 
Ficha técnica

Danonight 4 x 2 Real Migué – Semifinal do Chuteira 100|5

Gols: Gagol (3) e K10 (D); Léo e Guto (RM)

Cartões amarelos: Bruninho (D); Rike e Léo (RM)

MVPs: 1 – Gagol (Danonight); 2 – Caio Mena (Danonight); 3 – Bruninho (Danonight)

Comentários

Total (0)