Notícias  » Jogos

VENI, VIDI, VENDETTA

       

Vendetta vira pra cima do Coisa Rara em jogaço de bola para levantar o caneco da divisão prateada
Final não se joga, se ganha. A frase relembrada por Olavo na resenha pós-duelo pode ser aplicada em várias ocasiões. Contudo, na finalíssima do Chuteira 100|Prata, essa sentença tem que passar bem longe. Foram duas metades bem distintas. Na primeira, domínio absoluto dos grenás, que atuaram de forma impecável e saíram com vitória parcial de 1 x 0. Na segunda, os vingativos foram superiores, buscando a virada e sustentando a vantagem no marcador. O goleiro Augustto teve uma tarde infeliz, é bem verdade. Mas o esporte é feito disso, e erros individuais acontecem. Ainda assim, o arqueiro praticou boas defesas, evitando diversos tentos do Vendetta. Ao final da peleja, vitória dos vendettistas por 3 x 2 num confronto digno de uma final!
 
As duas equipes mais consistentes do torneio pisaram em quadra para disputar o título. Coisa Rara e Vendetta demonstraram desde o início da competição que tinham bola para brigar pelo caneco, o que de fato ocorreu. Os raros deram a saída da pelota e já começaram a dominar o embate. Santiago apareceu pelo lado esquerdo e deu para Hirata, que brigou com a marcação de Olavo, conseguindo ganhar um tiro de canto. O próprio Hirata cobrou o corner para o meio da bagunça, o melão chegou para Moura, que, de costas para o gol, pensou com inteligência e deu um toque de calcanhar para Henrique, dentro da área, fuzilar! 1 x 0!
 
Cenário perfeito para os grenás (que jogavam de branco) ficarem bem tranquilos na peleja. O gol relâmpago seria ideal para os outrora romanos aplicarem seu estilo de jogo. O Vendetta tratou de pôr a esfera no chão para tentar igualar as coisas. Pou surgiu pelo lado esquerdo e descolou lançamento na direita para Olavo, que finalizou em cima de Santiago, ganhando arremesso lateral. Na cobrança, Barone alçou na confusão, Enrico subiu para desviar de cabeça, mas não conseguiu levar perigo.
 
A bola aérea parecia ser o caminho para os vendettistas. Barone tentou em nova cobrança de lateral, Zilio buscou a cabeçada, mas Moura apareceu antes para realizar o corte. Enrico recebeu o melão pelo meio e fez o toque para Olavo, mas sofreu entrada dura de Henrique. Falta marcada e chance para os vingativos na pelota parada. Olavo mandou um chute forte e rasteiro, mas Moura surgiu no meio do caminho para rifar. O CR buscou a resposta quando Moura tabelou com Santiago e mandou um arremate cruzado, defendido por Raul. Na sobra, Barone vacilou e deu de graça para Vini, sozinho contra o arqueiro vendettista, mandar fora!
 
Mesmo passando um pouco menos de tempo com a redonda, o Coisa Rara se fechava muito bem, dando pouquíssimos espaços ao adversário. Moura, Vini e Pedrinho atuavam com excelência, construindo um verdadeiro muro para as tentativas vendettistas. Olavo, o príncipe, tentou achar um espaço no ferrolho raro quando roubou a pelota de Moura, tabelou com Tuca e enfiou na direita para Barone, livre de marcação, concluir sobre o travessão!
 
A partida seguiu com os vingativos tendo mais posse de bola, mas encontrando muitas dificuldades contra a bem postada defesa rara. Muito toque de lado entre Barone, Olavo, Tuca e cia., mas pouco resultado. Por outro lado, Pedrinho, Moura e Rogerinho seguiam absolutos na peleja. Olavo até teve uma chance de finalizar após passe de calcanhar de Barone, mas pegou muito mal, quase mandando a redonda para a linha lateral. Barone tentou novamente após passe de letra pela intermediária deixando Tuca na boa para arriscar, parando em bela intervenção de Augustto! Na sobra, Rafa tentou em chute pela esquerda, mas Augustto afastou o perigo.
 
Sem encontrar espaço pelo chão, os vingativos voltaram a apelar às bolas alçadas. Barone cobrou corner, Rafa subiu para desviar, mas jogou por cima. O próprio Rafa apareceu pelo meio para tentar de longe, mas Augustto encaixou com tranquilidade. Zilio foi outro que tentou em arremate de longa distância, mas também viu Augustto tirar o perigo! Barone copiou os colegas de time na tentativa e também na conclusão: disparo de longe que seguiu fora.
 
Com muita tranquilidade na defesa, o CR conseguiu assustar os vendettistas, quase ampliando o placar. Fernando rolou na frente para Brisa, que girou pra cima de Vasto e concluiu para grande defesa de Raul! Ton cobrou lateral para Fernando emendar de primeira. A redonda tirou tinta do poste e saiu! Barone buscou resposta rápida após enfiada de Vasto, mas finalizou em cima de Augustto.
 
Foi o lance derradeiro da primeira etapa! O Coisa Rara conseguiu abrir o placar logo cedo, e depois disso, ficou muito confortável para aplicar uma estratégia mais defensiva. Dando a bola aos vendettistas, os raros estacionaram um ônibus em frente à meta defendida por Augustto, deixando pouco espaço para o adversário trabalhar. Taticamente perfeito, os raros precisavam repetir a atuação por mais 25 minutos para levantar o caneco.
 
Lados trocados, e Enrico deu o primeiro toque na redonda do segundo tempo. Barone tentou após cruzamento para a área e corte da zagueirada rara. A pelota sobrou para o jaqueta 17 arriscar um canhão, defendido por Augustto. Logo depois, um dos lances mais inacreditáveis da história ddas finais do Chuteira! Henrique cobrou lateral direto para Augustto, que tentou dominar, mas deixou o melão passar por baixo do seu pé! Barone, que não tinha nada a ver com isso, aproveitou a patacoada do arqueiro na área e empurrou a gorduchinha pro gol vazio! 1 x 1!
 
Com menos de dois minutos de confronto o Vendetta conseguiu igualar o score. Nem no melhor sonho de um vingativo isso aconteceria. Temos um jogo na decisão! Pedrinho tentou colocar o CR na frente após cobrança de falta pela intermediária, mas parou nas mãos de Raul. Crack Neto conseguiu escapar pelo meio e lançou a chicotada para intervenção do arqueiro vendettista. Pedrinho tentou repetir a dose, mas quase jogou a redonda para a linha lateral.
 
Melhor na segunda etapa, O Vendetta passava mais tempo com a esfera nos pés, girando bastante o jogo antes de buscar as enfiadas para Enrico brilhar. Léo Balada conseguiu boa esticada na direita para Barone mandar uma pedrada, desviada à linha de fundo por Augustto. Barone cobrou arremesso lateral para a área, Zilio desviou e Pou completou de cabeça, mas Augustto caiu para segurar.
 
Bem diferente do primeiro tempo, os raros pareciam desligados no começo da etapa complementar. Santiago vacilou e perdeu a redonda para Barone, que entrou na área e finalizou. Augustto surgiu para evitar o tento. Na sobra, Léo Balada arriscou, mas o arqueiro raro catou mais uma. Barone ainda tentou fazer um gol olímpico (???) e cobrou corner direto, acertando a trave. Lance completamente bizarro!
 
Incrivelmente inacreditável (pt2) foi quando Santiago cobrou lateral para o goleirão Augustto, que foi apertado por Enrico. O arqueiro tentou chutar, mas acertou o artilheiro vingativo. A pelota tomou o caminho do gol e estufou a rede! Virada no placar! 2 x 1! Brake solicitado logo após para colocar as coisas em ordem, já que, em dois erros individuais, os vingativos tomaram a liderança no score.
 
Depois da reviravolta, o cenário ficou completamente favorável ao Vendetta. Da mesma maneira como ocorrera na semifinal, os vingativos conseguiram repetir a dose, tomando a vantagem após sair perdendo. Ao melhor estilo camaleão, a esquadra, que àquela altura estava levantando a taça, passou a atuar de maneira mais recuada, explorando os lances de contragolpe. Enrico quase marcou o terceiro após Pipe alçar a redonda na área, mas a cabeçada ficou nas mãos de Augustto.
 
Muito abaixo na etapa complementar, o CR experimentava do próprio veneno, já que tinha muita dificuldade para furar a bem postada defesa vingativa. Ainda assim, Ton conseguiu escapar e deu na direita para Fernando concluir. Vini surgiu sozinho na área para desviar, mas Raul realizou um milagre, evitando o tento! Réplica vendettista em balaço da intermediária disparado por Tuca, defendido por Augustto. Na sobra, Olavo mandou outro canhão, novamente segurado pelo arqueiro.
 
Encontrando espaços no bagunçado setor defensivo grená, o Vendetta criava bons lances ofensivos. Pipe subiu pela faixa central e arrumou na esquerda para Tuca tentar arremate colocado. Augustto, mais uma vez, voou para salvar seu time. Chamando a responsa, Pedrinho tabelou com Vini e mandou uma paulada, que pegou no travessão, pingou no chão e saiu! Uuuuuuuuuuuuuuh!
 
O relógio marcava 19 minutos quando Hirata assumiu a meta como goleiro-linha, colocando Augustto no banco. Era tudo ou nada para os raros, que precisavam desesperadamente do empate. Contudo, quem quase marcou foi Olavo, que mandou um petardo em cobrança de falta que teria morrido no ângulo caso Augustto não tivesse voltado justamente para evitar o tento. Na cobrança do escanteio, Barone lançou no meio da confusão para Kalil emendar uma puxeta e cravar um belo gol! 3 x 1!
 
Saída de bola do Coisa Rara com Hirata novamente assumindo a posição de arqueiro. Restava pouco tempo para o fim da peleja e o CR ainda precisava de, ao menos, dois gols. Todos os jogadores grenás passaram a preencher o campo ofensivo, com Hirata ficando dentro da área! Henrique conseguiu assustar quando mandou uma pedrada da intermediária, mas carimbou Santiago, que, ao invés de empurrar pra dentro, rifou a pelota.
 
Sem desistir, os raros seguiam martelando no campo ofensivo. Crack Neto conseguiu boa enfiada no fundo para Santiago, que escorou para Hirata pegar de primeira da entrada da área. A esfera ainda desviou em Pipe, parando no fundo do barbante! 3 x 2! No entanto, o Vendetta soube cozinhar os minutos finais da partida, fechando a porta para que o Coisa Rara não chegasse à igualdade.
 
Ton estava com a redonda pelo meio quando a arbitragem apitou pela última vez na peleja! Mesmo saindo atrás e tendo sido completamente anulado na primeira etapa, o Vendetta soube manter a tranquilidade para virar o placar no segundo tempo. Contando com dois vacilos de Augustto, os vingativos aplicaram a tática perfeita para chegar ao terceiro tento e segurar a vantagem.
O VENDETTA É O GRANDE CAMPEÃO DO CHUTEIRA 100|PRATA!

Ficha técnica

Vendetta 3 x 2 Coisa Rara – Final do Chuteira 100|Prata

Gols: Barone, Enrico e Kalil (V); Henrique e Hirata (CR)

Cartões amarelos: Pou e Ike (V); Augustto, Henrique, Hirata e Pedrinho (CR)

MVPs: 1 – Barone (Vendetta); 2 – Olavo (Vendetta); 3 – Pedrinho (Coisa Rara)


PREMIAÇÃO INDIVIDUAL

Artilheiro - Chiaroni (IMZT)
MVP - Pedrinho (Coisa Rara), Barone (Vendetta) e Censon (Olimpo)
MVG - Raul (Vendetta)
MVP das finais - Olavo (Vendetta)

Comentários

Total (0)