Notícias  » Jogos

A ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE

       

Lanterna The Bentures fez Cacildes de Ramos suar, mas não escapa de mais uma derrota; time precisa de um milagre para se classificar
O duelo começou com o Cacildes mostrando que a diferença entre as duas equipes na tabela não é mera coincidência. Com uma linha de jogadores avançados, e uma construção de jogadas com os defensores Alex Santos e Ítalo, a equipe empurrou o The Bentures para trás e teve volume, oportunidades e domínio do jogo. No entanto, o Bentures teve a capacidade de buscar a reação e mostrar uma fragilidade defensiva no Cacildes que pode ser muito explorada pelos adversários. O goleiro improvisado Nicola fez boas defesas que acabaram frustrando o ataque alvirrubro, que só conseguiu cravar a vitória nos acréscimos.
 
Léo Rinaldi, desde o começo do jogo, claramente, estava determinado a balançar as redes. Em todas as bolas na esquerda do ataque ele levava vantagem no mano a mano e limpava a marcação para finalizar no gol. O TB limitou-se a entregar a bola para o adversário e buscou sobreviver nos minutos iniciais.
 
Alex Santos encontrou bom passe para Léo Rinaldi, que finalizou de bico e o goleiro Nicola colocou para escanteio. A pressão era enorme, Rafinha perdeu boa chance logo em seguida ao chutar para fora. Apenas uma equipe buscava o gol; era ataque contra defesa. Nicola fazia o que podia para garantir o empate, mas depois de tanta insistência não teve como evitar: Léo Rinaldi aproveitou passe de Ítalo na esquerda, cortou para o meio e bateu com força no canto esquerdo do goleiro (que só assistiu) a bola morrer no fundo do gol. 1 x 0!
 
O Cacildes era intenso no ataque e não dava espaços para o The Bentures. Vitinho e Gigli não conseguiam sair jogando por falta de aproximação da equipe. No contra-ataque puxado por Rafinha, Léo Rinaldi tentou, a bolal desviou e sobrou para Andrezinho chutar e contar com a colaboração de Nicola para ampliar. Uma vitória sem sustos. 2 x 0! Pelé sentiu que o jogo pelo lado esquerdo funcionava. Depois da virada de jogo de Orelha, Léo Rinaldi dominou e tocou de letra para André Souza avançar no corredor e rolar para Pelé na frente do gol fazer o terceiro. Estava fácil! 3 x 0!
 
O mérito da equipe era marcar pressão e aproveitar a fragilidade do The Bentures para sair jogando. No entanto, atuar desse jeito cansa mais, e assim o Cacildes precisou rodar o time. Bom para o The Bentures, que aproveitou. Nicola saiu jogando rápido com Gigli, que lançou Rafinha na direita. Ele bateu de primeira na saída de Lino e descontou! 3 x 1!
 
A resposta foi imediata. Orelha bateu com força no ângulo e a bola com requintes de maldade tocou no travessão, em cima da linha e não entrou! Seria uma pintura! Aí o Bentures foi lá e fez mais um, já aos 24 minutos! Finalização de longa distância de Rafinha, a bola sobrou na ponta esquerda para Pedrão, que aproveitou o rebote do goleiro para colocar fogo no jogo. 3 x 2!
 
A partida ficou equilibrada, com mérito do The Bentures, mas contou com a má pontaria do Cacildes. André Souza arrancou, fez jogada individual e chutou. A bola bateu na trave e passou pelas costas do goleiro antes de ir para fora! Tudo em aberto até o presente momento.
 
Com o intervalo, o Cacildes parece ter se organizado novamente, tanto que voltou e marcou logo no primeiro minuto da etapa final. Depois da tabela com Andrezinho, Ítalo bateu cruzado para ampliar e o time voltar a respirar na partida. 4 x 2! Porém, no minuto seguinte o Bentures encontrou o gol mais acidental possível. André Souza tentou lançamento do campo de defesa e a bola explodiu em cima de Luizão e entrou. Muito azar do Cacildes! Bentures vive! 4 x 3!
 
Andrezinho teve boa chance para marcar para o Cacildes. Ele recebeu passe na direita, mas na hora da finalização acabou escorregando. Enquanto isso, o The Bentures quase empatou! Luizão ganhou escanteio e, na cobrança de Gigli, bate rebate dentro da área até Rafinha obrigar Lino a ótima defesa! Quase o empate! Se segura, Cacildes!
 
Nicola cresceu e segurava a pressão do Cacildes, mas Orelha tranquilizou o time. Após rodar a bola insistentemente, Rafinha tocou para Léo Rinaldi bater cruzado da esquerda para Orelha entrar com bola e tudo. 5 x 3! Ufa!
 
O The Bentures tentava avançar na bola parada. Após reversão do goleiro Lino, a equipe aproveitou o enrosco depois da cobrança para empatar novamente com Luisão. Ele precisou chutar duas vezes para conseguir marcar. Na primeira, o goleiro fez grande defesa, mas após cobrança de lateral, ele fez o pivô, girou para cima da marcação e colocou o time na disputa novamente. 5 x 4 e que jogo!
 
Pedido de tempo para o Cacildes já aos 22. Freddy Lind perdeu chance em cima da linha, sozinho! Impressiona como a equipe desperdiça chances de gol. O time teve domínio, controle, pressão, intensidade, mas não conseguia matar a partida e acabou animando o The Bentures, que encostou no placar e parecia a levar o empate pra casa. Não aconteceu. O gol que deixou o Cacildes aliviado veio apenas aos 25 minutos. Bebê recebeu na esquerda passe de Freddy e marcou o gol que garantiu a vitória. 6 x 4 e não perde mais!
 
Com o resultado, o Cacildes sobe para o terceiro lugar, com 6 pontos em 3 jogos. Por outro lado, apesar da garra e da entrega, o The Bentures soma a quarta derrota e segura a lanterna do Grupo A. posição que ficará ao menos mais uma rodada, já que folga neste sábado. O Cacildes tem confronto direto pelo 2º lugar com o Canxa Mirra.
 
Ficha Técnica
 
The Bentures 4 x 6 Cacildes de Ramos – 4ª rodada do Grupo A da IX Copa Estrelato
 
Gols: Rafinha, Pedrão e Luizão (2) (TB); Léo Rinaldi, Andrezinho, Pelé, Ítalo, Orelha e Bebê (CdR)
 
Cartão amarelo: Andrezinho (CdR)
  
MVPs: 1- Léo Rinaldi (Cacildes de Ramos); 2- Ítalo (Cacildes de Ramos); 3- Luizão (The Bentures)

Comentários

Total (0)