Notícias  » Jogos

CACILDES RULES

       

Com atuação segura e pragmática, Cacildes dispara a vencer o grupo e mira título
O Cacildes de Ramos assumiu a liderança do Grupo A ao vencer o Semba por 4 a 3 no jogo mais esperado da rodada. A equipe encontrou a vantagem na primeira etapa e, no segundo tempo, apenas trocou passes para gastar o tempo e garantir a vitória. A equipe construiu a vantagem, jogou pelo resultado, esperou o adversário tomar a iniciativa e tomou a liderança com propriedade. Grande resultado.
 
O Cacildes mostrou um futebol ainda não visto em termos de estratégia na competição. Em muitas partidas a equipe acabava querendo atacar em excesso e perdia o rumo. Nessa partida, não aconteceu. Mesmo com a vitória apertada, teve controle da partida o tempo inteiro e no fim acabou levando um gol que serviu apenas para encerrar o confronto.
 
Desde o início via-se o time de Ramos atacando. Uma característica dessa equipe é de controlar a bola, arriscar a gol e fazer pressão para retomar a bola. Orelha foi o primeiro a testar o goleiro Art, que não baixou a guarda. Só que o gol veio cedo – cedo demais. Depois de Bebê fazer ótima jogada individual pela meia esquerda, ele ameaçou tocar e chutou com desvio da marcação e abriu o placar. 1 x 0! Cacildes na frente com menos de dois minutos!
 
A resposta do Semba chegou em chute de bico de Higor, mas sem perigo. O Cacildes seguiu pressionando, dessa vez com Léo Rinaldi, artilheiro do time na competição com 6 gols, que recebeu passe na esquerda, girou e chutou para boa defesa do goleiro. O Semba não conseguia ter a posse de bola, então a única maneira que encontrava para atacar era na bola parada. Com arremessos precipitados, a equipe não incomodava o Cacildes e entregava a bola de graça. Após escanteio batido por André, Léo Rinaldi chutou de primeira com o peito do pé, a bola bateu na trave e passou atrás de Art! Só uma equipe atacava!
 
Era questão de tempo para o segundo gol sair. Lembra do artilheiro? Ele apareceu. Bebê chutou da meia-direita, a bola bateu na trave, nas costas do goleiro e sobrou caprichosamente em cima da linha para Léo Rinaldi marcar seu sétimo gol no torneio e ampliar. Vitória fácil. 2 x 0!
 
Até o presente momento o Semba apenas assistia ao adversário. Vir de Osasco só pra ver não dá, né! Então tinham de reagir, sair da posição Chaves assustado! A primeira finalização perigosa veio com Diniz depois de lançamento de Higor, para boa defesa de Lino. Ledo engano, pois a vantagem só aumentava. Aos 11, ficou pior. Orelha encontrou Rafinha na esquerda, depois de ótimo passe de letra, e o camisa 8 chegou chutando de perna canhota por debaixo das pernas de Art. Sim, mais um e 3 x 0! O que eu vou dizer lá em casa, Sembão?!?!
 
Tinha de pedir tempo antes que viesse o knock down. Pri! Para tudo! Conversa vem, conversa vai, e na volta o Semba tentou colocar emoção na partida. Depois que Bombom cruzou, Higor caindo dividiu e descontou! O Semba acha o gol para colocar fogo no jogo e correr atrás do resultado. 3 x 1!
 
Entretanto, o destaque do primeiro tempo era o ímpeto ofensivo do Cacildes. Os caras seguiam atacando querendo mais e mais. Parece até que tinham sido provocados durante a semana, cutucados com vara curta. Diferentemente de contra o The Bentures, faziam de maneira mais cautelosa, evitando desperdiçar a posse de bola e forçar jogadas sem necessidade. Freddy tentou finalização de longa distância e Art pegou.
 
A postura do Cacildes foi diferente na segunda etapa. Seguia prendendo a bola, mas não forçava nenhuma jogada. A equipe que tinha que correr atrás do placar era o Semba, mas o time jogava atrás da linha da bola e esperava o erro do adversário. Logo, o Cacildes decidiu ficar tocando de lado para tirar o adversário da defesa e não errar.
 
O Semba percebeu que ia precisar arriscar, mas toda vez que tentava adiantar a marcação, era surpreendido com bola nas costas com ataques de Orelha, pela meia direita, e Bebê, pela meia esquerda. Sinuca de bico?
 
A primeira chegada do Semba foi com Diniz de cabeça, mas mandou para fora. Com a defesa desorganizada do Semba, o Cacildes conseguiu mais um gol. A paciência foi a virtude no gol que saiu de pé em pé. Orelha lançou André na frente do gol, que apenas rolou para Leandro empurrar para o fundo do gol. 4 x 1!
 
O Semba não tinha mais nada a perder. Sem conseguir sair jogando, optou por pressionar a saída de bola. Assim chegou ao segundo gol, aos 16. Everton roubou a bola e tocou para Diniz, que ajeitou para Bombom chutar mas em cima da linha Rafinha salvou! No lance seguinte, Diniz aproveitou o rebote e conseguiu empurrar para o gol! 4 x 2!
 
A partida voltou a ficar aberta com apenas dois gols de vantagem. Se deu certo, sigamos assim! Semba começou a pressionar mais. Carlão tentava armar o jogo, mas o Cacildes estava todo recuado e ficou mais de boa quando Guizinho foi expulso depois de tomar o segundo cartão amarelo. Com um jogador a menos, a equipe sobreviveu dois minutos sem levar gol.
 
Uma dificuldade do Cacildes é de jogar sem a bola. Todas as vezes que a equipe entrega a bola para o adversário e tenta se defender acaba sofrendo gols. Foi assim contra o The Bentures. O Semba, no escanteio, encontrou a trave com Diniz, após desvio na marcação. No lance seguinte, dessa vez Carlão não desperdiçou e mandou para o fundo do gol, mas já eram os acréscimos. Ainda dá tempo? Deu nada! 4 x 3!
 
Com seus 12 pontos e a liderança, basta um empate ante o eliminado Independiente para cravar o acesso antecipado. O Semba estaciona nos 10 pontos, em segundo lugar, mas se perder do Canxa Mirra deve cair para a 4ª posição.
 
Ficha Técnica
 
Cacildes de Ramos 4 x 3 Semba – 6ª rodada do Grupo A da IX Copa Estrelato
 
Gols: Léo Rinaldi, Bebê, Rafinha e Leandro (CR); Higor, Diniz e Carlão (S)
 
Cartões amarelos: Vagner  (CR); Guizinho (S)
 
Cartão vermelho: Guizinho (S)
 
MVPs: 1- Orelha (Cacildes de Ramos); 2- Bebê (Cacildes de Ramos); 3- Diniz (Semba)

Comentários

Total (0)